Busca avançada
Ano de início
Entree

Zoneamento da produtividade potencial e das restrições a produtividade do Eucalyptus na região nordeste do estado de São Paulo após calibração e validação do modelo ecofisiológico 3-PG

Processo: 07/57896-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2008
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Florestais e Engenharia Florestal - Silvicultura
Pesquisador responsável:José Luiz Stape
Beneficiário:Cristiane Camargo Zani de Lemos
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Eucalipto

Resumo

Este projeto visa calibrar e validar o modelo 3-PG (Physiological Principies in Predicting Growth, Landsberg e Waring 1997) para florestas de Eucalyptus na região nordeste do Estado de São Paulo. O 3-PG é um modelo ecofisiológico, de passo mensal, fundamentado em entradas e parâmetros relativos às condições climáticas, edificas, de manejo e do material genético. O modelo estima a quantidade de energia radiante fotossinteticamente ativa absorvida pelo dossel, e convertida em carboidratos, e sua alocação nos compartimentos da floresta (folhas, tronco, galhos e raízes). Os dados que possibilitarão a calibração do modelo serão provenientes da base experimental e climática do projeto BEPP (Brasil Eucalyptus Produtividade Potencial, www.ipef.br/bepp) com tratamentos de irrigação e fertilização, instalado em Mogi-Guaçu - SP em 2001, e em Piracicaba-SP em 2004. Nesta etapa, os valores reais observados de Incremento Corrente Anual (ICA) e índice de Área Foliar (IAF) dos tratamentos serão confrontados com as estimativas do 3-PG, para um ciclo de 6 anos, obtendo-se as melhores estimativas dos parâmetros do modelo. A fase de validação utilizará dados do projeto "Parcelas Gêmeas de Inventário (www.ipef.br/ppgi)" e em inventário comercial da região Nordeste de SP, compreendendo cerca de 82.000 ha de plantios (Ribeirão Preto, Mogui-Guaçu, Brotas e São Simão), onde se encontram instaladas 290 parcelas gêmeas e 3.600 parcelas de inventário, com determinações do ICA desde 2002 até 2008, e do IAF em 2007/2008. Mapas de solos e os dados climáticos estão disponíveis. Uma vez calibrado e validado, o modelo será espacializado (SIG) para estimar a produtividade potencial do Eucalyptus para o Estado de São Paulo, bem como os fatores edáficos ou climáticos que a restringem, orientando o manejo. Finalmente, o modelo permitirá simular cenários de variabilidade climática, e seus reflexos na eucaliptocultura paulista. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.