Busca avançada
Ano de início
Entree

Envolvimento dos sistemas dopaminérgico, opioidérgico e CRH no efeito da separação materna longa sobre a sensibilização comportamental ao efeito estimulante do etanol em camundongos machos e fêmeas

Processo: 07/01287-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2007
Vigência (Término): 31 de julho de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Deborah Suchecki
Beneficiário:Suzi Emiko Kawakami
Instituição-sede: Departamento de Psicobiologia. Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Dopamina   Etanol

Resumo

A sensibilização comportamental às drogas de abuso, caracterizada pelo aumento progressivo da atividade locomotora após administrações repetidas da droga, parece desempenhar um papel importante no desenvolvimento da dependência, por aumentar as suas propriedades motivacionais. O aumento da transmissão dopaminérgica mesolímbica está envolvida tanto com os efeitos estimulantes como no processo de sensibilização comportamental. Muitos trabalhos mostram que os receptores dopaminérgicos D1 são importantes para estes efeitos. Muitos sistemas de neurotransmissores e neuropeptídeos modulam a via dopaminérgica mesolímbica, incluindo o sistema opioidérgico e o sistema do hormônio liberador de corticotropina (CRH). Antagonistas opióide não específicos têm sido usados para o tratamento do alcoolismo. O estresse aumenta o consumo e as respostas comportamentais às drogas de abuso, este efeito parece ser devido à atuação dos componentes do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal (HPA), ativado por situações estressantes, no sistema dopaminérgico. Muitos estudos têm sugerido que antagonistas de CRH seriam potenciais agentes para o tratamento do alcoolismo. O estresse no início da vida, representado, entre outros paradigmas, pela separação materna por longos períodos de tempo no período neonatal, aumenta a vulnerabilidade ao abuso de drogas, e esta vulnerabilidade poderia estar envolvida com as alterações induzidas pelo estresse na via dopaminérgica mesolímbica e/ou nos sistemas que modulam e atuam nesta via. Neste estudo, o objetivo será verificar os efeitos da separação materna nas concentrações de dopamina da via mesocorticolímbica basal e após a sensibilização comportamental. Além disso, pretendemos observar se os antagonistas D1, opióide não específico (naltrexone) e CRH (alpha-helical) que bloqueiam a expressão da sensibilização comportamental, também bloqueariam esse fenômeno em animais estressados no início da vida.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
KAWAKAMI, SUZI E.; QUADROS, ISABEL M. H.; SUCHECKI, DEBORAH. Naltrexone Prevents in Males and Attenuates in Females the Expression of Behavioral Sensitization to Ethanol Regardless of Maternal Separation. FRONTIERS IN ENDOCRINOLOGY, v. 7, OCT 18 2016. Citações Web of Science: 2.
KAWAKAMI, S. E.; QUADROS, I. M. H.; MACHADO, R. B.; SUCHECKI, D. SEX-DEPENDENT EFFECTS OF MATERNAL SEPARATION ON PLASMA CORTICOSTERONE AND BRAIN MONOAMINES IN RESPONSE TO CHRONIC ETHANOL ADMINISTRATION. Neuroscience, v. 253, p. 55-66, DEC 3 2013. Citações Web of Science: 12.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.