Busca avançada
Ano de início
Entree

Alterações celulares e moleculares induzidas pelo estresse térmico em oócitos Bos indicus e Bos taurus

Processo: 07/57938-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2007
Vigência (Término): 22 de abril de 2008
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:Fabíola Freitas de Paula Lopes
Beneficiário:Fabíola Freitas de Paula Lopes
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:07/53323-0 - Alterações celulares e moleculares induzidas pelo estresse térmico em oócitos Bos indicus e Bos taurus, AP.JP
Assunto(s):Bovinos   Vacas   Bos taurus   Bos taurus indicus   Oócitos   Estresse térmico   Apoptose   Fator de crescimento insulin-like I

Resumo

As alterações no microambiente do trato reprodutivo podem comprometer o crescimento e a maturação do oócito bem como o desenvolvimento embrionário pré-implantacional. A exposição de oócitos bovinos às condições adversas de temperatura, como o estresse térmico, reduz de maneira dramática o desenvolvimento embrionário e os índices de gestação durante o verão. Entre as alterações celulares induzidas pela temperatura elevada destacam-se os danos no citoesqueleto e o estabelecimento da morte celular por apoptose. No entanto, existem evidências de que embriões bovinos das raças Bos indicus são mais resistentes à temperatura elevada do que os de Bos taurus. Com base nestas evidências esta proposta de trabalho objetiva: 1) determinar o efeito das raças e do fator de crescimento semelhante à insulina (IGF-I) na competência de oócitos bovinos colhidos de vacas B. indicus (Nelore) e B. taurus (Holandesa) submetidas ao estresse térmico em câmara climática; 2) determinar pela técnica de microarray genômico, as diferenças de expressão gênica em oócitos e células do cumuius (CC) colhidos de vacas B. indicus (Nelore) e B. taurus (Holandesa) submetidas ao estresse térmico em câmara climática e 3) caracterizar as alterações celulares induzidas pelo estresse térmico in vitro e o papel protetor do IGF-I em oócitos no estádio de vesícula germinativa. (AU)