Busca avançada
Ano de início
Entree

Protocolo incremental de corrida: comportamento de variáveis eletromiográficas, cinemáticas e metabólicas

Processo: 07/58339-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2008
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Mauro Gonçalves
Beneficiário:Carina Helena Wasen Fraga
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Assunto(s):Fadiga   Corridas   Eletromiografia   Cinemática

Resumo

Protocolos incrementais de corrida em esteira permitem a análise da fadiga muscular por meio de indicadores biomecânicos que estejam relacionados a índices metabólicos já validados na literatura. Esses indicadores constituem uma importante ferramenta de avaliação para atividades dinâmicas, como a corrida. O objetivo do presente estudo é analisar variáveis eletromiográficos, cinemáticas e metabólicas, e correlacioná-las entre si para identificação da fadiga muscular durante protocolo de teste incremental de corrida em esteira Participarão desse estudo 20 atletas corredores do sexo masculino, com idade entre 18 e 30 anos, sem antecedentes de lesão nos membros inferiores e de antropometria semelhante. O protocolo de corrida será composto de um aquecimento de cinco minutos e, após, será realizado o teste até a exaustão, com velocidade inicial de 12 km.h-1 com incrementos de 1 km.h-1 a cada 3 minutos. Serão coletados os sinais eletromiográficos e os dados cinemáticos durante todo o teste, e após o término de cada estágio de 3 minutos haverá uma pausa de 30 segundos para coleta de sangue (25l) do lóbulo da orelha. Serão coletados dados eletromiográficos bilateralmente dos músculos ileocostal lombar, reto abdominal, reto femoral, vasto mediai, vasto lateral, tibial anterior, bíceps femoral (cabeça longa) e gastrocnêmico (porção lateral). Os dados cinemáticos analisados serão: tempo, freqüência e amplitude de passada. Para determinação do limiar de fadiga eletromiográfico (EMGLF), o comportamento do RMS de cada músculo em cada estágio será correlacionado em função do tempo em cada velocidade, obtendo-se destas retas os valores dos coeficientes de correlação (r), coeficiente de determinação (r2), coeficiente angular e nível de significância (p). Em seguida será realizada a regressão linear entre as velocidades (eixo y) e seus respectivos coeficientes de inclinação (eixo x), os quais serão obtidos das regressões entre o RMS e o tempo em cada velocidade, sendo o EMGLF o valor do intercepto no eixo da velocidade. A realização desse protocolo faz-se de fundamental importância para validação de uma metodologia biomecânica que possibilite a avaliação da fadiga em atividades dinâmicas. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CARINA HELENA WASEM FRAGA; ROBERTO BIANCO; JÚLIO CERCA SERRÃO; CAMILA COELHO GRECO; ALBERTO CARLOS AMADIO; MAURO GONÇALVES. Comparação de protocolos de corrida para determinação de diferentes limiares. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, v. 20, n. 2, p. 92-96, Abr. 2014.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
FRAGA, Carina Helena Wasen. Protocolo incremental de corrida : comportamento de variáveis eletromiográficas, cinemáticas e metabólicas. 2010. 108 f. Tese de Doutorado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Instituto de Biociências (Campus de Rio Claro). Rio Claro.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.