Busca avançada
Ano de início
Entree

Participação, desigualdade e raça: comparação entre Belo Horizonte e Cidade do Cabo

Processo: 08/51585-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2008
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Ciência Política - Comportamento Político
Pesquisador responsável:Adrian Gurza Lavalle
Beneficiário:Natália Salgado Bueno
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Desigualdade social

Resumo

O primeiro objetivo desta pesquisa é avaliar e interpretar em que medida a adição de fatores institucionais à consolidada tradição de modelos baseados em recursos ("Modelo do Voluntarismo Cívico" e da "centralidade") traz avanços explicativos no entendimento da configuração da participação em distintos sistemas políticos e, desta forma, implica em revisões desses modelos. Subsidiariamente, o segundo objetivo, de teor empírico, é identificar e analisar os principais fatores que explicam a variação à propensão participação política em associações em Belo Horizonte e na Cidade do Cabo. Desta forma, parte-se da proposição consolidada de que a maior posse de recursos individuais de natureza econômica (renda e escolaridade, principalmente) leva à maior propensão a fazer parte de associações orientadas para o sistema político, argumentando-se, todavia, que essa proposição é insuficiente para explicar a configuração da participação política em associações. Ainda que recursos de natureza socioeconômica tendam a se converter em maior participação, fatores institucionais alteram essa relação, seja para intensificá-la, seja para invertê-la ou, ainda, mediá-la. Dessa forma, toma-se raça como fator institucional, construído politicamente, forjado pela atuação do sistema político na configuração da sociedade, central na distribuição de bens e valores políticos. Sendo assim, as hipóteses específicas conjecturam que, raça, no caso sul-africano, dada sua capacidade de mobilização e polarização inverte a relação entre maior posse de recursos socioeconômicos e participação, levando grupos de menor posse a serem mais ativos em associações. Por outro lado, no caso belorizontino, raça tem efeito "mediado", ou seja, diferentes grupos raciais usam recursos distintamente, o que não altera, todavia, de forma relevante, a proposição da associação entre recursos e participação. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
A desigualdade “racial” nas eleições brasileiras 

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
BUENO, Natália Salgado. Raça e comportamento político em perspectiva comparada: evidências de Belo Horizonte e da Cidade do Cabo. 2010. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.