Busca avançada
Ano de início
Entree

Exossomos derivados de células dendríticas como adjuvantes naturais na resposta antitumoral

Processo: 07/58597-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2008
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Jose Alexandre Marzagão Barbuto
Beneficiário:Graziela Gorete Romagnoli
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:04/09956-0 - Modulação funcional de células dentríticas em diferentes situações fisiopatológicas, AP.TEM
Assunto(s):Exossomos   Imuno-oncologia   Adjuvantes   Células dendríticas

Resumo

Devido aos vários mecanismos de escape apresentados por neoplasias malignas frente ao sistema imune, o desenvolvimento de estratégias de vacinação antitumoral que consigam contornar estes mecanismos se tornou um alvo constante de estudo dentro da imunologia dos tumores. Apesar de vacinas baseadas em células dendríticas (DCs) se mostrarem promissoras, nenhuma conseguiu, ainda, resultados "definitivos". Assim, abordagens diferentes merecem ser investigadas. A proposta deste trabalho visa tornar células tumorais diretamente imunogênicas, pela incorporação de exossomos derivados de DCs às mesmas. Exossomos (Exo) são pequenas vesículas de origem endocítica que são secretadas por diversas células, inclusive do sistema imune. Exo derivados de células tumorais são capazes de transferir antígenos tumorais as células do sistema imune, de maneira a induzir respostas linfocitárias in vitro contra o tumor. Da mesma forma, Exo derivados de DCs, pulsadas com antígenos tumorais, têm capacidade de transferir, além dos antígenos, moléculas funcionais do Complexo Principal de Histocompatibilidade de classe I e II e moléculas co-estimuladoras a outras DCs, de modo a induzir, eficientemente a ativação de linfócitos T in vitro e in vivo. Em vista deste fenômeno, o presente projeto pretende avaliar o efeito imunológico da incorporação de exossomos, originados de DCs diferenciadas e ativadas em cultura, por células tumorais (da linhagem de adenocarcinomas de mama, SK-BR3). Para isso, serão caracterizados fenotipicamente os exossomos derivados de DCs (presença de CD1a, CD9, CD11c, CD14, CD40, CD54, CD80, CD81, CD83, CD86, HLA-ABC, HLA-DR) e sua incorporação às células tumorais (por citometria de fluxo para os mesmos marcadores). Além disto, pretende-se avaliar a capacidade imunoestimuladora de células tumorais tratadas com Exo sobre linfócitos T (CD4 e CD8) autólogos e atogenêicos (em relação às DCs), por sua capacidade de indução de proliferação, secreção de citosinas e geração de atividade citotóxica. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ROMAGNOLI, GRAZIELA GORETE; ZELANTE, BRUNA BARBOSA; TONIOLO, PATRICIA ARGENTA; MIGLIORI, ISABELLA KATZ; BARBUTO, JOSE ALEXANDRE M. Dendritic cell-derived exosomes may be a tool for cancer immunotherapy by converting tumor cells into immunogenic targets. FRONTIERS IN IMMUNOLOGY, v. 5, JAN 19 2015. Citações Web of Science: 42.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.