Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da terapia hipolipemiante na migração de células progenitoras endoteliais e na liberação de micropartículas

Processo: 07/58833-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2008
Vigência (Término): 31 de maio de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Francisco Antonio Helfenstein Fonseca
Beneficiário:Carolina Nunes França
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Aterosclerose   Movimento celular   Inibidores de hidroximetilglutaril-CoA redutases   Hipolipemiantes

Resumo

Aterosclerose é um processo caracterizado pelo acúmulo de placas de ateroma nos vasos sanguíneos. Manifestações clínicas incluem infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral e doença arterial periférica, resultando em complicações irreversíveis. As estatinas têm sido usadas para reduzir o LDL-C em pacientes com doenças coronarianas. Estudos têm mostrado que os efeitos benéficos das estatinas envolvem, além dos benefícios na redução do LDL-C, efeitos pleiotrópicos, que incluem melhora da função endotelial e migração de células genitoras endotelias (EPCs). A medula óssea é a principal fonte de EPCs no adulto, e a mobilização prejudicada destas células para a corrente sanguínea está relacionada com as doenças cardiovasculares, e indivíduos com reduzido número de EPCs no sangue possuem maior risco para desenvolver doença arterial coronariana. EPCs expressam diferentes marcadores de superfície, dependendo do seu estado de diferenciação in vitro. EPCs imaturas expressam CD133, CD34 e KDR. Quando maduras, elas passam a expressar o CD31, além de outros marcadores típicos de células endoteliais, como o vWF, VE-caderina, Tie-2, CD146 e E-selectina. Micropartículas endoteliais (EMPs) são liberadas pelas células endoteliais após ativação ou apoptose, através de vesículas de membrana medindo entre 0,1 a 1 um. Este estudo tem como objetivo principal analisar a influência da rosuvastatina ou da associação ezetimiba + sinvastatina na migração de EPCs e na liberação de EMPs por células endoteliais apoptóticas. Também será avaliado o efeito em EPCs e EMPs da interação farmacocinética entre o antiplaquetário clopidogrel e as duas terapias hipolipemiantes. Os resultados deste estudo irão contribuir para a análise dos benefícios obtidos com as duas estratégias hipolipemiantes, complementando outros estudos relacionados com o papel de EPCs e EMPs nas doenças cardiovasculares. (AU)