Busca avançada
Ano de início
Entree

Vias intracelulares de sinalização, fenótipo de membrana e atividade imuno-estimuladora de células dendríticas humanas pulsadas com antígenos tumorais acoplados fisicamente a agonistas de..

Processo: 07/57436-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2008
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Jose Alexandre Marzagão Barbuto
Beneficiário:Renato Brito Baleeiro
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:04/09956-0 - Modulação funcional de células dentríticas em diferentes situações fisiopatológicas, AP.TEM
Assunto(s):Células dendríticas   Imuno-oncologia

Resumo

As células dendriticas (DCs), devido a sua capacidade única para iniciar uma resposta imune, induzir memória e quebrar a tolerância imunológica pré-estabelecida parecem ser a ferramenta celular ideal para a imunoterapia de tumores, o que vem sendo intensamente explorado nos últimos anos, mas com resultados ainda não completamente satisfatórios. Um dos pontos que poderia explicar esta insuficiência seria a ativação "inadequada" das DCs nos diferentes protocolos clínicos utilizados. Assim, neste projeto pretendemos estudar a eficácia da imunização contra Ags tumorais pelo acoplamento físico dos mesmos a agonistas de "Toll-like receptors" (TLRs). Os objetivos deste projeto são, portanto, comparar a indução e o padrão de resposta imune específica aos Ags tumorais NY-ESO-1 e/ou HER-2/neu, por DCs diferenciadas a partir de monócitos humanos tratados com GM-CSF e IL-4, e maturadas com agonistas de TLRs de localização intracelular (poli I:C, agonista de TLR3, intracelular) e/ou agonistas de TLRs localizados na superfície celular (lipopeptídeos tri-acetilados, agonistas de TLR1/2, de superfície). Estes agonistas serão acoplados fisicamente, ou não, ao Ag tumoral e as DCs assim geradas serão avaliadas quanto a seu fenótipo de membrana, ativação de vias de sinalização intracelulares estimuladoras (via das STAT) e inibidoras (via das SOCS), produção das citosinas IL-10, IL-12p70 e IL-23p19 e capacidade de estimular linfócitos T naive autólogos contra o Ag tumoral com o qual essas DCs terão sido pulsadas. Neste ponto, também será analisado o padrão de resposta dos linfócitos pelo perfil de citosinas produzidas nas co-culturas de DCs com linfócitos T, assim como pela avaliação do fenótipo desses linfócitos. Além de poder contribuir para a elaboração de protocolos imunoterapêuticos mais eficazes, este projeto deve aprofundar nosso conhecimento quanto aos mecanismos de diferenciação e ativação das DCs (humanas) no contexto das relações entre a resposta imune inata e adaptativa. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
BALEEIRO, Renato Brito. Apresentação cruzada e atividade imuno-estimuladora de células dendríticas pulsadas com antígenos particulados acoplados a um agonista de \"Toll-like receptor\".. 2012. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Ciências Biomédicas São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.