Busca avançada
Ano de início
Entree

Atividade de mieloperoxidase e formação de oxigênio singlete em monócitos, macrófagos e células dendríticas: localização versus atividade

Processo: 07/57156-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2008
Vigência (Término): 31 de agosto de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica
Pesquisador responsável:Ana Campa
Beneficiário:Wilton Antonio da Silva Cruz
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Células dendríticas   Oxigênio singleto

Resumo

A enzima mieloperoxidase (MPO), presente em leucócitos da linhagem granulocítica e monocítica, tem participação em diversos processos fisiológicos e deletérios. Ela é responsável pela geração de ácido hipocloroso e também pela oxidação de compostos endógenos, alguns medicamentos e toxinas. Os produtos primários da ação de MPO, o ácido hipocloroso gera produtos secundários com amplas ações biológicas em eventos como apoptose e condução do processo inflamatório. Assim, existem fortes evidências que alguns produtos gerados a partir de reações catalisadas por MPO tenham papel na sinalização celular. Destes produtos, chama atenção o oxigênio singlete. Em fagócitos, esta espécie reativa de oxigênio (ERO) poderia participar tanto do processo de morte de patógenos, quanto da sinalização de eventos da inflamação. O nosso laboratório trabalha com a hipótese de que a localização da MPO, e conseqüentemente, os sítios de produção de oxigênio singlete definem a função da enzima e desta ERO.O interesse particular no oxigênio singlete deve-se também ao fato de que sua detecção não é trivial e relativamente pouco é conhecido sobre sua produção por sistemas biológicos se comparado a outras EROs. Neste sentido o nosso grupo de pesquisa tem trabalhado com a questão da localização de MPO em neutrófilos e macrófagos e com a detecção de oxigênio singlete através da utilização de sondas específicas (Okada S, bolsista doutorado FAPESP). Neste estudo pretendemos utilizar metodologias que estão sendo padronizadas por nosso grupo para avaliar a presença e localização de MPO na diferenciação de monócitos humanos para macrófagos e células dendítricas. Nestas mesmas células avaliaremos a produção de oxigênio singlete pela utilização de duas sondas, o DPA e o ABPE. A primeira delas foi utilizada por nosso grupo revestindo partículas a serem fagocitadas. Esta sonda propiciou também a possibilidade de obtenção de imagens em microscopia, através da fluorescência do DPA e perda desta fluorescência após reação com oxigênio singlete. A sonda ABPE foi recentemente sintetizada por Martinez et al.(2006) e pretendemos, neste projeto testar o potencial de sua utilização em fagócitos. Este projeto tem a participação do Prof. Catalani… (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.