Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da administração prenatal de LPS no aprendizado e/ou memória da prole de ratas

Processo: 07/56850-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de abril de 2008
Vigência (Término): 31 de outubro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Pesquisador responsável:Maria Martha Bernardi
Beneficiário:Marina Taricano
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Gravidez   Lipopolissacarídeos   Aprendizagem espacial

Resumo

Já está também bastante estabelecido que processos inflamatórios e infecções bacterianas ou virais em gestantes levam a interferências no ambiente fetal, podendo resultar em diversos danos a prole. Uma série de evidências sugerem que, além de fatores genéticos, o ambiente pode ter participação na incidência de doenças mentais. A infecção materna perinatal é considerada fator de risco para algumas doenças psiquiátricas do desenvolvimento como a esquizofrenia e o autismo. Estudos recentes em nosso laboratório mostram que a administração de LPS no 9,5 dia da gestação reduz de forma significante o comportamento de brincar da prole de ratas aos 30 dias (considerado um modelo de autismo) e também os níveis de dopamina estriatal e de seu metabólito, o ácido homovanílico (processo FAPESP nº 302195/2004-1). Este projeto visa dar continuidade ao estudo deste modelo de infecção pré-natal com LPS e de suas conseqüências tardias na prole de ratas. O enfoque principal do trabalho será testar, em modelos de aprendizado e/ou memória, se nossos animais apresentam déficits cognitivos e, a seguir, como os animais se comportam diante de mudanças em padrões comportamentais estabelecidos.Neste sentido, autistas apresentam comportamentos estereotipados, tendo dificuldade em modificá-los. Para tanto serão empregados modelos animais de aprendizagem espacial ou não, pois um grupo de autistas apresentam boa aprendizagem espacial. Ratas serão tratadas no 9,5 dia da gestação com LPS, e o desenvolvimento físico e comportamental de sua prole será avaliado. Na idade adulta, a prole masculina será treinada no labirinto de Morris, no labirinto em T e no teste de reconhecimento de objetos. A seguir, a contingência experimental será alterada. Adicionalmente, será observada sua aprendizagem de habituação a um ambiente novo. Os níveis de neurotransmissores serão avaliados no hipocampo, estriados, cerebelo e lobo frontal. Desta forma, pretende-se investigar se o modelo de inflamação materna pré-natal pode contribuir para o entendimento do binômio doença materna X doenças mentais, para em projetos futuros tentar caracterizar quais os mecanismos subjacentes ao fenômeno. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
KIRSTEN, THIAGO BERTI; CHAVES, GABRIELA PENA; TARICANO, MARINA; MARTINS, DANIEL OLIVEIRA; FLORIO, JORGE CAMILO; GIORGETTI DE BRITTO, LUIZ ROBERTO; TORRAO, ANDREA DA SILVA; PALERMO-NETO, JOAO; BERNARDI, MARIA MARTHA. Prenatal LPS exposure reduces olfactory perception in neonatal and adult rats. Physiology & Behavior, v. 104, n. 3, p. 417-422, SEP 1 2011. Citações Web of Science: 16.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.