Busca avançada
Ano de início
Entree

O processo de reificacao no romance quincas borba

Processo: 08/52217-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2008
Vigência (Término): 31 de julho de 2010
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Letras - Literatura Brasileira
Pesquisador responsável:Cilaine Alves Cunha
Beneficiário:Wellington Migliari
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Romance   Machado de Assis   Expropriação   Herança

Resumo

A partir do século XVIII, a modernização econômica, a acentuada industrialização do sistema de produção de mercadorias não só despertou o desejo de consumo como provocou nos indivíduos um processo de apagamento da consciência histórica (HOBSBAWN; 2004). Em conseqüência da excessiva multiplicação e diversificação da mercadoria, começa a existir um rompimento progressivo dos laços subjetivos entre os indivíduos, transformando-os também em objeto (LUKACS; 1960). No Brasil, esse processo teve início com a transferência do investimento dos capitais empregados no tráfico negreiro para a economia local. Este projeto pretende analisar o romance Quincas Borba, a fim de averiguar o modo como Machado de Assis analisa e descreve o tema da transformação do sujeito em coisa por meio da questão da herança. Como Raymundo Faoro aponta, em A Pirâmide e o Trapézio, é essencialmente por meio da herança e do casamento que Machado de Assis discute a mentalidade expropriadora (FAORO; 1976). A questão da herança, assunto central em Quincas Borba, pode cristalizar modos de ruptura análogos ao que a mercadoria realiza na era da reprodutibilidade (LUKACS; 1960). Nos últimos trinta anos do Segundo Império brasileiro, a herança funciona como um elemento monetário que possibilita a mobilidade social e intensifica a ruptura dos laços humanos por meio do processo da expropriação. O enredo da demência de Rubião, como uma narrativa paralela sobre a consciência que se desvencilha aos poucos dos acontecimentos reais, pode ser também compreendido como uma possível metáfora do fenômeno da retificação estilizado por Machado de Assis. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
MIGLIARI, Wellington. Filosofia e tragédia: o processo de reificação em Quincas Borba. 2011. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.