Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliacao do potencial antioxidante do fenil ester do acido cafeico, composto da propolis, em modelo animal de obesidade induzida por dieta hiperlipidica.

Processo: 08/52721-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2009
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Rosângela Maria Neves Bezerra
Beneficiário:Aline Camila Caetano
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:04/13981-0 - O efeito do cape e apigenina, compostos da própolis, no mecanismo molecular da resistência à insulina, AP.JP
Assunto(s):Obesidade   Enzimas antioxidantes   Dieta hiperlipídica

Resumo

A obesidade está implicada em várias condições patológicas, como resistência à insulina, diabetes tipo 2, dislipidemia, esteatose hepática, hipertensão e risco de doenças cardiovasculares. A resistência à insulina e o aumento da deposição de gordura presente na obesidade foi demonstrado estar associada ao aumento de citocinas, ácidos graxos livres e glicose circulante, condições que levam ao aumento da produção de espécies reativas de oxigênio, ao aumento da glicação não enzimática de proteínas e ao aumento da auto-oxidação da glicose. Esses produtos gerados pelo estresse oxidativo tem um papel importante nas complicações observadas no diabetes tipo 2 e nas doenças cardiovascular. Estudos recentes têm demonstrado que os antioxidantes têm um importante papel na proteção enzimática e não enzimática contra a toxicidade induzida pelo estresse oxidativo. Produtos naturais com altos teores de flavonóides foram demonstrados apresentarem capacidade de seqüestro de espécies reativas de oxigênio (ERO), além de quelar metais de transição, impedindo assim, a formação de espécies reativas. Dentre os produtos naturais, a própolis e seus compostos tem demonstrado diversas atividades biológicas, como atividade antioxidante, antimicrobiana, antiinflamatória, cicatrizante, anestésica, antiviral. Dentre estes compostos, o CAPE (fenil éster do ácido caféico) foi demonstrado em diversos estudos apresentar um potencial farmacológico contra diversas desordens clínicas causadas por radicais livres, bem como no auxílio do mecanismo de defesa enzimático. A produção de espécies reativas de oxigênio foi completamente bloqueada em estudo in vitro com neutrófilos humanos tratados com 10 μM de CAPE. Estudos usando diferentes modelos animais de estresse oxidativo, como isquemia/reperfusão da medula espinhal de coelhos, animais submetidos ao frio ou uso de drogas citotóxicas, mostraram que o tratamento com CAPE foi capaz de aumentar a atividade das enzimas envolvidas na resposta antioxidante, e reduzir danos hepáticos. Entretanto, nada se sabe dos efeitos do CAPE em modelos de obesidade associada à resistência à insulina. Este estudo visa avaliar o potencial antioxidante do CAPE, composto da própolis, em modelo experimental de obesidade associada à resistência à insulina induzida por dieta hiperlipidica. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
CAETANO, Aline Camila. Fenil éster do ácido caféico melhora a resposta ao estresse oxidativo em modelo animal de obesidade induzida por dieta hiperlipídica. 2010. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Piracicaba.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.