Busca avançada
Ano de início
Entree

Doses e formas de aplicação de zinco e molibdênio no feijoeiro

Processo: 08/52551-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2008
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:Dirceu Maximino Fernandes
Beneficiário:Marco Antonio Sanches
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Molibdênio   Feijão   Zinco   Micronutrientes

Resumo

A nutrição mineral do feijoeiro com macro e micronutrientes é fundamental. Os micronutrientes por sua vez são essenciais em pequenas quantidades, sendo sua correção, difícil, para que os níveis necessários às plantas sejam atendidos. Dentre esses micronutrientes, o Zn é nutriente escasso em solos brasileiros, adicionalmente o Mo possui vital importância, pois melhora o aproveitamento de N2. Ambos podem afetar a produtividade do feijoeiro. Devido a esse fato, para melhorar a produtividade é quase sempre necessário uma adubação complementar. Apesar de existirem vários métodos de fertilização, devido a algumas particularidades, eles nem sempre se mostram eficientes. Com isso, o objetivo do presente estudo será avaliar o desenvolvimento, nutrição e produção do feijoeiro sob diferentes doses de zinco e molibdênio sob diferentes formas de aplicação. O experimento será conduzido em túnel plástico, no Departamento de Recursos Naturais/Ciências do Solo da UNESP/ Campus de Botucatu, os solo utilizados serão Latossolo Vermelho Escuro distrófico textura média (Led) e um solo Latossolo Roxo distrófico textura argilosa (LR). Os vasos utilizados no experimento serão de 8 dm3 de terra seca ao ar passada em peneira de 4 mm. Os tratamentos serão compostos quanto à forma de aplicação: pulverizado junto à semente, pulverizado junto ao adubo NPK na semeadura e pulverizado na superfície do solo. E quanto à adição de Zn e Mo serão: com Mo, com Zn e com Mo + Zn (juntos); mais uma testemunha sem adição. Sendo composto por doze tratamentos e quatro repetições, tendo como delineamento experimental o de blocos ao acaso. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
SANCHES, Marco Antonio. Formas de aplicação de zinco e molibdênio no feijoeiro. 2010. 68 f. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Ciencias Agronomicas (Campus de Botucatu). Botucatu.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.