Busca avançada
Ano de início
Entree

Leishmaniose felina e sua associacao com imunodeficiencia viral, leucemia viral e toxoplasmose em gatos do municipio de aracatuba

Processo: 08/52491-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2008
Vigência (Término): 31 de julho de 2010
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Mary Marcondes
Beneficiário:Ludmila Silva Vicente Sobrinho
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Assunto(s):Leucemia felina   Imunidade   Gatos   Toxoplasma gondii

Resumo

A leishmaniose visceral é uma antropozoonose cosmopolita. Esta enfermidade é endêmica nos cinco continentes, em 88 países, sendo que uma população de 350 milhões encontra-se em área de risco. Na América Latina, a leishmaniose visceral faz-se presente em 12 países, e 90% dos casos ocorrem no Brasil. O cão é considerado principal reservatório da doença, contudo, existem vários relatos da ocorrência de leishmaniose em felinos, no entanto, a literatura é escassa a despeito de sua pesquisa em associação às importantes enfermidades infecciosas, tais como a Leucemia Viral Felina, Imunodeficiência Felina e Toxoplasmose em populações de gatos em áreas endêmicas para leishmaniose. Desta forma, o presente estudo objetiva verificar a possível ocorrência da leishmaniose e a co-infecção com o vírus da Leucemia Felina (FeLV), o vírus da Imunodeficiência Felina (FIV) e Toxoplasma gondii, bem como determinar a espécie de leishmania envolvida. Para tanto, serão utilizados, no mínimo 400 gatos, adultos, independente do sexo, sintomáticos ou não. Será colhido sangue para detecção de anticorpos anti-Leishmania sp. através da técnica ELISA e, realizado punção biopsia aspirativa (PBA) de linfonodos poplíteos e medula óssea, os quais serão avaliados microscopicamente para a presença de formas amastigotas de Leishmania sp. Nos animais parasitologicamente positivos, será feito um macerado de órgão (medula óssea ou linfonodo), o qual será inoculado por via intraperitoneal em hamsters. Caso desenvolva sintomas de leishmaniose, eles serão submetidos à eutanásia e fragmentos de órgãos ou de lesões de pele serão cultivados em meio RPMI e Schneider, com o objetivo de determinar a espécie de leishmania envolvida. O soro dos animais será testado ainda para a presença de anticorpos anti-vírus da Leucemia Felina, da Imunodeficiência Felina e anti-Toxoplasma sp. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
SOBRINHO, Ludmila Silva Vicente. Leishmaniose felina e sua associação com imunodeficiência viral e toxoplasmose em gatos provenientes de área endêmica para leishmaniose visceral. 2010. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Medicina Veterinária de Araçatuba. Araçatuba.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.