Busca avançada
Ano de início
Entree

Resposta metabólica e local a suplementação de aminoácidos de cadeia ramificada e de ácidos graxos ômega-3 em pacientes oncológicos

Processo: 09/53216-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2010
Vigência (Término): 31 de março de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Bioquímica da Nutrição
Pesquisador responsável:Julio Sérgio Marchini
Beneficiário:Izabel de Arruda Leme
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Neoplasias   Ácidos graxos ômega-3   Marcadores inflamatórios   Aminoácidos de cadeia ramificada   Anti-inflamatórios

Resumo

Isto as propriedades antiinflamatórias dos ácidos graxos W-3, acredita-se que a suplementação com esses ácidos graxos pode suprimir a perda de peso. Atenuar sintomas de caquexia (anorexia e resposta inflamatória) e, conseqüentemente, melhorar a qualidade de vida em pacientes com câncer. No entanto, não há consenso quanto aos benefícios proporcionados pela suplementação e quanto à dose e ao período de suplementação necessário para manifestação desses efeitos. Os aminoácidos de cadeia ramificada (AACR) promovem regulação da síntese e degradação protéica e são precursores da glutamina e da alanina. Visto a condição hipercatabólica dos pacientes com câncer, a suplementação com AACR parece inibir a degradação e estimular a síntese protéica e podem contribuir para a melhora do apetite. Assim, o presente trabalho tem por hipótese que a suplementação com AACR promove melhora na ingestão dietética e no estado nutricional e que a suplementação com ácidos graxos ÜJ-3 suprime a síntese de citosinas inflamatórias, e, conseqüentemente, promove melhora do estado nutricional. Espera-se ainda que a retenção de ácidos graxos e de aminoácidos em tecido neoplásico seja maior em relação à sua margem e que exista uma relação direta entre concentração local e plasmática desses nutrientes. Desse modo, o objetivo do presente trabalho é avaliar o impacto da suplementação com ácidos graxos W-3 e AACR sobre a composição de aminoácidos e ácidos graxos em tecido neoplásico e respectiva margem, estado nutricional, qualidade de vida e resposta inflamatória em pacientes com câncer de cabeça e pescoço. Os pacientes serão aleatoriamente divididos em quatro grupos: grupo A, que não receberá suplementação, grupo B, que receberá 15 g de AACR via oral; grupo C, que receberá 6 g de ácidos graxos W-3 via oral; grupo D, que receberá 15 g de BCAA e 6 g de ácidos graxos W-3. Os pacientes serão avaliados antes e 10 dias após suplementação. As avaliações incluirão: aferição de peso e estatura, composição corporal por impedância bioelétrica, gasto energético de repouso por calorimetria indireta, índice de qualidade de vida por meio dos questionários da EORTC (European Organisation for Research and Treatment of Câncer), ingestão alimentar por registro alimentar e exames bioquímicos. Pacientes com encaminhamento cirúrgico deverá manter a suplementação até a data da cirurgia, quando serão coletadas amostras de tecido neoplásico e sadio para análise bioquímica. A avaliação bioquímica incluirá análise plasmática e tecidual de ácidos graxos e de aminoácidos e análise dos marcadores inflamatórios plasmáticos IL-1 1L-6 TNF-α, PCR. (AU)