Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo sobre a incorporação de chumbo pos-eruptiva no esmalte de dentes decíduos e correlação com chumbo na saliva e no plasma - um estudo longitudinal

Processo: 08/53098-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2008
Vigência (Término): 25 de maio de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontopediatria
Pesquisador responsável:Raquel Fernanda Gerlach
Beneficiário:Soraya Cheier Dib Gonçalves
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Dente decíduo   Plasma sanguíneo   Esmalte dentário

Resumo

A exposição ambiental ao chumbo é uma das questões mais sérias de contaminação de populações do ponto de vista de saúde pública. Mesmo em pequenas quantidades, o chumbo causa mudanças bioquímicas e neurológicas, como retardo mental, convulsões, paralisia cerebral e hiperatividade. Os trabalhos que comprovaram a associação entre exposição ambiental a chumbo no passado e problemas no desenvolvimento neurológico utilizaram dentina de dentes decíduos como tecido marcador da exposição a chumbo. Isso mostra que, até o momento, o dente decíduo é o melhor marcador da exposição cumulativa passada ao chumbo. Trabalhos do nosso grupo indicam que o esmalte superficial de dentes decíduos seria um bom marcador cumulativo da exposição passada ao chumbo, sendo que esse tecido apresenta consideráveis vantagens do ponto de vista de acesso e desenvolvimento de testes para monitoramento ambiental em relação à dentina, um tecido interno. Entretanto, uma das mais importantes questões a ser resolvida é se o chumbo acumulado no esmalte superficial decíduo é de origem pré- ou pós-eruptiva. Umas das formas de abordar essa questão é acompanhar crianças pequenas ao longo de 3 anos para verificar se há ou não incremento na quantidade de chumbo no esmalte superficial e comparar, na mesma criança, concentrações de chumbo no esmalte superficial com aquelas dos principais fluidos corporais a partir dos quais o chumbo seria acumulado no esmalte, que são o plasma e a saliva. Assim, o objetivo deste trabalho é verificar in vivo, por meio de testes em esmalte decíduo, se o chumbo acumulado nos primeiros micrometros do esmalte é incorporado pré ou pós-eruptivamente e como as concentrações de chumbo encontradas no esmalte superficial se correlacionam com aquelas encontradas no plasma e na saliva. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
GONÇALVES, Soraya Cheier Dib. Incorporação de chumbo pós-eruptiva em esmalte de dentes decíduos e correlação com saliva e plasma - Estudo longitudinal. 2012. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto Ribeirão Preto.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.