Busca avançada
Ano de início
Entree

Resposta imune induzida pelo veneno de Philodryas patagoniensis (serpentes: Colubridae) em modelo murino

Processo: 08/53978-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2008
Vigência (Término): 31 de maio de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia
Pesquisador responsável:Monica Valdyrce dos Anjos Lopes Ferreira
Beneficiário:Priscila Hess Lopes
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Colubridae   Resposta imune   Anticorpos   Macrófagos   Venenos

Resumo

No Brasil, de 20 a 40% dos acidentes ofídicos envolvendo humanos são causados pelas serpentes conhecidas como não peçonhentas pertencentes à família COLUBRIDAE, no entanto, os venenos das serpentes pertencentes a esta família, são pouco estudados e possivelmente podem ser fontes de novos compostos. Dentre as espécies de Colubrídeos que têm sido associadas ao envenenamento em humanos, está Philodryas patagoniensis. Esta serpente possui veneno capaz de ocasionar sinais locais e sintomas passíveis de serem confundidos com aqueles encontrados em acidentes botrópicos, tais como dermonecrose, mionecrose, dor, edema e hemorragia, além de alta atividade hemorrágica, proteolítica, fibrinogenolítica e desenvolvimento de proeminente processo inflamatório. Uma vez que, pouco se conhece sobre a ação deste veneno sobre o sistema imune e que o modelo experimental murino tem sido útil na caracterização de aspectos biológicos e farmacológicos do veneno, estudos que revelem o padrão de infiltração leucocitária na área da lesão bem como a ativação de macrófagos e o perfil das citosinas e anticorpos gerados pelo veneno podem nos levar a uma modulação da resposta inflamatória bem como encontrar um ou mais alvos para intervenção terapêutica. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.