Busca avançada
Ano de início
Entree

Espacos-tempos da reproducao socioespacial: da producao imobiliaria do espaco da habitacao na peroferia metropolitana de sao paulo a acumulacao financeira global.

Processo: 08/51863-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2008
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Geografia - Geografia Humana
Pesquisador responsável:Ana Fani Alessandri Carlos
Beneficiário:Danilo Volochko
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Habitação   Metrópoles   Espaço-tempo   Periferia

Resumo

A compreensão da urbanização atual é proposta através da análise da produção do espaço urbano como movimento contraditório entre a lógica reprodutiva do capital, a racionalidade do Estado e a vida cotidiana. Assim, a problemática espacial e urbana atuais evidenciam o esgarçamento das contradições saídas da relação entre os níveis da praxis (o econômico, o social, o político), os quais se apoiam sobre diferentes espaços-tempos em sua dinâmica reprodutiva no espaço da metrópole. Desse modo, a produção da habitação pelo mercado imobiliário de ponta, nos termos gerais do espaço-tempo da valorização do valor enquanto valorização da terra entra em conflito com a apropriação do espaço pela prática do habitar. Incorporadoras capitalizadas investem na construção de grandes conjuntos habitacionais para famílias de baixa renda nas periferias metropolitanas, sobrepondo, em última instância, o espaço-tempo da reprodução financeira àquele da reprodução social, instituindo as negatividades da propriedade e dos moldes programados de sociabilidade. A urbanização na periferia parece se tornar condição, meio e produto da acumulação financeira global, ancorada à valorização imobiliária, resultando na produção de uma nova morfologia urbana. Paradigmático neste sentido é o empreendimento Bairro Novo Cotia, fruto de parceria entre a Gafisa e a Odebrecht que se destina ao desenvolvimento urbano de uma gleba de meio milhão de metros quadrados próxima à Rodovia Raposo Tavares e ao Rodoanel Mário Covas, onde estão sendo construídas 2,4 mil habitações. O horizonte desse processo parece ser a extensão de uma urbanização segregada e privada às periferias, integrando/desintegrando populações menos abastadas à vida urbana. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
VOLOCHKO, Danilo. Novos espaços e cotidiano desigual nas periferias da metrópole. 2012. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.