Busca avançada
Ano de início
Entree

Patologia clínica e mensuração da atividade de colinesterase cerebral e colinesterases plasmáticas em falconiformes e strigiformes do Estado de São Paulo: correlação com dados biométricos, idade, sexo e condição corpórea

Processo: 08/51792-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2008
Vigência (Término): 31 de agosto de 2009
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Pesquisador responsável:Eliana Reiko Matushima
Beneficiário:Ticiana Martins Zwarg Simões Dias
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Patologia clínica   Intoxicação   Hematologia

Resumo

As aves de rapina (ordens Falconiforme e Strigiforme) são predadores, e por isso consideradas topo de cadeia alimentar. Dessa maneira, podem sofrer intoxicação primária por pesticidas utilizados principalmente na criação de gado, como inseticidas, e nas plantações, como praguicidas ou herbicidas. Os rapinantes são também comumente envolvidos em casos de intoxicação secundária, uma vez que a captura de presas já intoxicadas é mais fácil de ocorrer. Os agentes anti-colinesterásicos - bastante utilizados atualmente como ectoparasiticidas - podem provocar intoxicações agudas - mais comuns - ou crônicas, envolvendo sintomatologia nervosa e imunodepressão, o que predispõe os animais ao desenvolvimento de diversas doenças. Na literatura, são muitos os relatos de morte por intoxicação em aves de rapina; no Brasil, não há estudos toxicológicos que envolvam essas espécies. Assim, o objetivo desse trabalho é avaliar o estado de saúde das aves de rapina, preferencialmente de vida livre, de regiões diversas do estado de São Paulo, através dos seguintes exames: hemograma completo, bioquímica sérica, pesquisa de hemoparasitas, pesquisa de componentes tóxicos em fragmentos de tecidos e conteúdo gastro-intestinal e mensuração da atividade das colinesterases plasmáticas e da colinesterase cerebral, correlacionando os dados obtidos com sexo, idade, condição corpórea e biometria dos animais. Animais que morrerem subitamente, apresentando sintomatologia nervosa e em boa condição corporal serão preferencialmente incluídos no projeto, e suas carcaças serão avaliadas. Aves aparentemente saudáveis serão submetidas aos mesmos exames, para obtenção de valores de referência. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
DIAS, Ticiana Martins Zwarg Simões. Hematologia, pesquisa de hemoparasitos e mensuração da atividade de colinesterases plasmáticas em Falconiformes e Strigiformes do Estado de São Paulo, Brasil. 2010. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.