Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização do eixo imune-pineal: mecanismo de ação do controle da função pineal pela citocina pró-inflamatória TNF

Processo: 08/56080-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de abril de 2009
Vigência (Término): 30 de novembro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Pesquisador responsável:Regina Pekelmann Markus
Beneficiário:Cláudia Emanuele Carvalho de Sousa
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Fatores de necrose tumoral   Farmacologia   Citocinas

Resumo

A glândula pineal constitui parte da maquinaria endógena responsável pela sincronização de diversos processos fisiológicos ao ciclo claro/escuro ambiental, e atua como um transdutor neuro-endócrino liberando o hormônio melatonina durante a fase de escuro. Estudos sobre a fisiologia da pineal têm-se concentrado no entendimento dos mecanismos responsáveis pelo controle da ritmicidade endógena da produção de melatonina e as funções biológicas deste hormônio. Mais recente são os estudos que apontam a glândula como integrante da defesa do organismo, considerando os efeitos imunoregulatórios da melatonina. Dados do nosso laboratório têm apontado para a existência de um eixo imune-pineal que considera não só a influência que a melatonina exerce sobre células imuno-competentes, mas também na influência dos mediadores do sistema imune sobre a função pineal, Recentemente, propusemos que a produção noturna de melatonina é suprimida no início de uma resposta inflamatória, de forma a permitir sua montagem tanto durante o dia como à noite (Markus et al., 2007). O TNF como citocina pró-inflamatória é secretado em altos níveis no processo inflamatório agudo. Dados do nosso laboratório mostraram que o TNF atua diretamente sobre a pineal inibindo transientemente a transcrição do gene que codifica a enzima aa-nat, enzima chave na via biossintética da melatonina, como também a produção de N-acetilserotonina (NAS) em glândulas pineais de ratos em cultura (Fernandes et al, 2006). Para que possamos chegar ao entendimento do mecanismo celular e molecular responsável pela supressão da transcrição da aa-nat e de NAS por TNF, neste projeto verificaremos se as moléculas envolvidas na via de sinalização desta citocina estão presentes na pineal. Serão estudadas as vias NFKB e JNK. Os estudos serão realizados em glândulas em cultura e em pinealócitos e será determinada a presença de receptores para TNF e das proteínas das duas vias biossintéticas. Além disso, como resposta funcional das mesmas será acompanhada a translocação nuclear de NFKB e a produção da proteína AP-1. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
SOUSA, Cláudia Emanuele Carvalho de. Caracterização do eixo imune-pineal: mecanismo de ação do controle da função pineal pela citocina pró-inflamatória TNF. 2011. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Biociências São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.