Busca avançada
Ano de início
Entree

Síntese e ativação superficial de novos suportes magnéticos para imobilização de enzimas

Processo: 08/56572-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2008
Vigência (Término): 31 de outubro de 2013
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química - Tecnologia Química
Pesquisador responsável:Fernando Manuel Araújo Moreira
Beneficiário:Willian Kopp
Instituição-sede: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Assunto(s):Imobilização de enzimas   Carbono   Penicilina G   Enzimas de restrição

Resumo

Enzimas são potentes catalisadores, mas frágeis operacionalmente, caras e solúveis. Assim, o uso industrial desses catalisadores, muitas vezes, só é possível com a enzima imobilizada, pois isso permite reutilização e uso de maiores concentrações da enzima no reator, com consequente aumento de produtividade do processo, além de poder levar à grande aumento da estabilidade operacional da enzima. Suportes porosos possuem grande área superficial, o que permite imobilização de grande massa de catalisador, mas também pode gerar sérias limitações à transferência interna de massa de reagentes e produtos. Imobilização apenas na superfície da partícula evita esses problemas e menor o diâmetro da partícula, maior a área superficial por unidade de volume. Partículas pequenas são difíceis de serem recuperadas do meio reacional por técnicas tradicionais, mas uso de micro e nano partículas magnéticas facilitaria muito essa separação. Foi desenvolvido pelo grupo do Prof. Fernando Moreira, da UFSCar, o carbono magnético, um material com excelentes características magnéticas e totalmente biocompatível. Está em desenvolvimento pelo grupo da Profª. Raquel Giordano, UFSCar, um processo de síntese de ampicilina, catalisada por penicilina G acilase imobilizada. Nesse processo, ocorre cristalização do produto, o que dificulta a recuperação do biocatalisador, também sólido. Desta forma o uso de um suporte magnético para imobilização de penicilina G acilase permitiria essa separação através da aplicação de um campo magnético externo. Outra aplicação de claro interesse para suportes magnéticos é na imobilização de endocelulases visando hidrolise de material lignocelulósico, uma vez que a celulose é insolúvel e não pode assim se difundir para o interior de um suporte poroso. Pretende-se, pois, neste projeto, desenvolver metodologia de ativação de carbono magnético visando sua aplicação na imobilização de penicilina G acilase e endocelulases, com caracterização do suporte e dos derivados obtidos após imobilização das enzimas. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Novo material reduz custo de purificação de substâncias para a indústria 
Matéria(s) publicada(s) no blog Pesquisa para Inovação FAPESP sobre a bolsa:
Novo material reduz custo de purificação de substâncias para a indústria 

Patente(s) depositada(s) como resultado deste projeto de pesquisa

MICROPARTÍCULAS MAGNÉTICAS DE SÍLICA POROSA E PROCESSO DE SÍNTESE BR102014026583-0 - Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR) . Fernando Manuel Araújo Moreira; Willian Koop; Raquel de Lima Camargo Giordano - 15 de outubro de 2013

 
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.