Busca avançada
Ano de início
Entree

Clonagem, expressao, purificacao e caracterizacao das proteinas do capsideo viral do papilomavirus humano (hpv).

Processo: 08/55857-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2009
Vigência (Término): 31 de maio de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Paulo Lee Ho
Beneficiário:Agtha de Alencar Muniz Chaves
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Proteínas recombinantes

Resumo

O câncer cervical é causado pela infecção persistente do vírus do papiloma humano. Este tipo de câncer é o segundo mais comum entre mulheres e causa 250 milhões de mortes anualmente. Os papilomavirus infectam epitélio de mucosas, possui DNA circular duplo com genes que codificam oito proteías virais. O genoma dos pailomavirus possui três distintas regiões, a região precoce, região tardia e região longa de controle de expressão. Os genes da região precoce codificam as proteínas não estruturais E1, E2, E4, E5, E e E7, que as proteínas expressas durante a primeira fase do ciclo de vida do vírus. Os genes da região tardia L1 e L2, codificam proteínas estruturais que formam o capsídeo viral e que são expressas no final do ciclo de vida do vírus. As proteínas E6 e E7 são oncogênicas e tem função na transformação maligna das células do epitélio do cervical. A proteína L1 quando produzida em sistemas de expressão, possui a capacidade de auto arranjo e formação de partículas semelhantes aos vírus ("Vírus Like Particles") mas com genoma viral ausente. As VLPs possuem epítopos conformacionais que direcionam o sistema imune à produção de anticorpos neutralizantes contra o vírus, sendo então base para as vacinas profiláticas. Diversos sistema de expressão de proteínas heterólogas são usados para produção de proteínas recombinantes. O sistema baseado em leveduras metilotróficas do gênero Pichia patoris possui a vantagem de produção de alta quantidade de proteína na forma solúvel. O trabalho tem como objetivo produzir, purificar e caracterizar a proteína L1 do HPV-16. Esse objetivo se insere dentro de um objetivo maior de desenvolver uma vacina profilática contra o HPV 16 e 18. (AU)