Busca avançada
Ano de início
Entree

Um possivel novo modelo animal de parkinson: o emprego de linhagens selecionadas para resposta inflamatoria aguda ou producao de anticor pos.

Processo: 08/55895-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2010
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia
Pesquisador responsável:Lanfranco Ranieri Paolo Troncone
Beneficiário:Gustavo Yuzo Ujikawa
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Junção neuromuscular   Phoneutria nigriventer   Eletrofisiologia

Resumo

A aranha Phoneutria nigriventer, ocasiona um grande número de acidentes envolvendo humanos no Brasil. Os sintomas da picada incluem intensa dor local, cãibras, tremores, convulsões tônicas, sialorréias, perturbações visuais, disfunções cardíacas, distúrbios no sistema nervoso central, espasmos musculares, bloqueio neuromuscular, contração de músculo liso de vasos sangüíneos, piloereção, priapismo, e morte. Seu veneno contém uma grande variedade de proteínas e peptídeos, incluindo neurotoxinas que atuam sobre receptores e canais iônicos (Ca2+, Na+ e K+), e podem ser investigados por métodos eletrofisiológicos. Muitas toxinas descritas na literatura foram isoladas e seqüenciadas, mas uma pequena porção foi descrita quanto aos seus aspectos farmacológicos. Propomos neste projeto a descrição das ações farmacológicas de peptídeos de uma biblioteca de frações puras e semi-puras do veneno atualmente estocado em nosso laboratório, utilizando o modelo eletrofisiológico da preparação do frênico-diafragma de camundongo. Os peptídeos foram obtidos por gel-filtração em Sephadex G50f e HPLC em coluna de fase reversa. Os picos coletados foram liofilizados e analisados por espectrometria de massa MALDI ou QTOF. Para os testes eletrofisiológicos empregaremos camundongos machos da linhagem Swiss de 20 a 25g. Os parâmetros avaliados serão o potencial de repouso, o potencial da placa motora (PPM) e o potencial em miniatura da placa motora (PMPM), captados pelo empalamento de um eletrodo à fibra muscular adjacente ao nervo. Empregaremos o amplificador Axoclamp 2B, placa digitalizadora Digidata 1200 e programa Pclamp7 para aquisição de dados. (AU)