Busca avançada
Ano de início
Entree

Nem ecletica, nem moderna: a arquitetura brasileira das decadas de 1920 a 1950

Processo: 08/57688-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2009
Vigência (Término): 30 de junho de 2011
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Hugo Massaki Segawa
Beneficiário:Maria Luiza Macedo Xavier de Freitas
Instituição-sede: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Arquitetura moderna   Concreto armado

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo investigar a atuação de grandes firmas construtoras que atuam no Brasil entre 1922 e 1947, com o intuito de identificar as principais inovações tecnológicas introduzidas por essas empresas e suas inferências na arquitetura. Correntemente, três temas são associados à arquitetura moderna: racionalidade, o uso diferenciado dos sistemas modernos de construção a criação de formas novas. Entretanto, estes temas não são apenas tratados pelos arquitetos seguidores desse movimento arquitetônico, mas fazem parte do repertório de outros profissionais do setor da construção no Brasil. A atuação de alguns desses profissionais já foi tratada em outros trabalhos, mas uma lacuna permanece: o papel de firmas construtoras no processo de modernização da arquitetura brasileira. As firmas construtoras, ao introduzirem novos procedimentos projetuais e, principalmente, novos sistemas construtivos - a estrutura metálica e o concreto armado -, modificaram a fisionomia das cidades brasileiras, atendendo a anseios de modernidade, que podem ser relacionados às inovações tecnológicas. Um paradoxo da arquitetura sobressai nessa pesquisa: fica claro que as relações entre as questões artísticas e as técnicas tomam proporções distintas, o que gerou diferentes atitudes arquitetônicas, como a arquitetura moderna brasileira reconhecida nos manuais de história da arquitetura de um lado, e a produção de gosto "art déco", de outro. Tendo no seu âmbito o pragmatismo, essa arquitetura não teve reconhecido o seu significado na historiografia brasileira da arquitetura. A partir do estudo de acervos, sobretudo da construtora de origem dinarmaquesa Christiani & Nielsen, esta tese visa identificar profissionais da construção pouco reconhecidos e o seu papel no processo de modernização da arquitetura brasileira, buscando esclarecer um momento de inflexão na cultura arquitetônica no Brasil do século XX. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
FREITAS, Maria Luiza Macedo Xavier de. Modernidade concreta: as grandes construtoras e o concreto armado no Brasil, 1920 a 1940. 2011. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Arquitetura e Urbanismo São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.