Busca avançada
Ano de início
Entree

Analise da expressao genica por microarrays de celulas-tronco hematopoeticas e mesenquimais de pacientes com esclerose multipla

Processo: 08/58387-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2009
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Eduardo Antônio Donadi
Beneficiário:Gislane Lelis Vilela de Oliveira
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Esclerose múltipla   Imunorregulação   Células-tronco mesenquimais   Células-tronco hematopoéticas   Transplante de células-tronco

Resumo

A esclerose múltipla (EM) é uma doença auto-imune (DAI) crônica e inflamatória, mediada por linfócitos B e T auto-reativos, ocasionando desmielinização no sistema nervoso central. A etiologia da EM não está completamente elucidada, mas sabe-se que envolve a interação de fatores genéticos, ambientais e defeitos nos processos de imunoregulação. Alguns estudos em modelos animais sugerem que a patogênese de DAIs humanas possa estar associada à possíveis alterações genéticas e/ou funcionais nas células-tronco hematopoiéticas (CTHs) e/ou nas células-tronco mesenquimais (CTMs) dos pacientes. As CTHs são células multipotentes e encontram-se na medula óssea e dão origem a todas as células dos sistemas hematopoiético e imunológico. Há muitos anos elas vêm sendo utilizadas em transplantes halogênios para tratamento de leucemias e linfomas, e mais recentemente em transplantes halogênios e autólogos para tratamento de DAIs. As CTMs também são células multipotentes que podem ser isoladas de diversos tecidos fetais e adultos, tais como medula óssea e tecido adiposo. Elas são capazes de diferenciar-se em diversos tipos celulares da linhagem mesodérmica in vitro. Elas possuem propriedade imunossupressora, imunoreguladora e regenerativa. Devido a essas propriedades e ao fácil isolamento e expansão in vitro, as CTMs passaram a ser consideradas fontes para terapias celulares para diversas doenças hematológicas, imuno-mediadas e cardiovasculares. Apesar das CTHs e CTMs serem atualmente consideradas ferramentas terapêuticas potenciais para terapia celular, ainda sabe-se pouco sobre a biologia dessas células. Não existem dados na literatura sobre as características genéticas e funcionais de CTHs e CTMs de pacientes com EM, que tenham demonstrado se elas são células normais ou defeituosas. Desse modo, o objetivo desse projeto é avaliar o perfil de expressão gênica de CTHs e CTMs isoladas da medula óssea de pacientes com EM. A análise da expressão gênica em larga escala será realizada pela técnica de microarrays. Avaliaremos o perfil de expressão gênica diferencial entre CTHs e CTMs de pacientes com EM e indivíduos saudáveis. Avaliaremos também o efeito da terapia de imunossupressão em altas doses seguida pelo transplante autólogo de CTHs, a qual esses pacientes foram submetidos, sobre a expressão gênica dessas células, pela comparação do perfil de expressão gênica das amostras celulares isoladas pré- e pós-transplante. Além disso, avaliaremos a capacidade imunossupressora das CTMs de pacientes com EM e indivíduos saudáveis em ensaios funcionais de inibição da proliferação de linfócitos in vitro. Esse projeto poderá revelar genes e vias de sinalização alterados e possíveis defeitos funcionais nas CTHs e CTMs de pacientes com EM, provavelmente relacionados ao desencadeamento da auto-imunidade e patogênese da EM, que poderão ser estudados e possibilitar futuramente o desenvolvimento de novas formas terapêuticas para o tratamento dessa DAI. Por outro lado, se os resultados mostrarem que as CTHs e CTMs de pacientes com EM são normais genética e funcionalmente, elas poderão ser utilizadas seguramente como fonte celular autóloga para o tratamento de pacientes com EM. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DE OLIVEIRA, GISLANE L. V.; DE LIMA, KALIL W. A.; COLOMBINI, AMANDA M.; PINHEIRO, DANIEL G.; PANEPUCCI, RODRIGO A.; PALMA, PATRICIA V. B.; BRUM, DORALINA G.; COVAS, DIMAS T.; SIMOES, BELINDA P.; DE OLIVEIRA, MARIA C.; DONADI, EDUARDO A.; MAMEGRIM, KELEN C. R. Bone Marrow Mesenchymal Stromal Cells Isolated From Multiple Sclerosis Patients Have Distinct Gene Expression Profile and Decreased Suppressive Function Compared With Healthy Counterparts. CELL TRANSPLANTATION, v. 24, n. 2, p. 151-165, 2015. Citações Web of Science: 24.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
OLIVEIRA, Gislane Lelis Vilela de. Análise da expressão gênica por microarrays de células-tronco hematopoéticas e mesenquimais de pacientes com esclerose múltipla. 2013. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Ribeirão Preto.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.