Busca avançada
Ano de início
Entree

Modulação da interação neutrofilo-endotelio in vitro por melatonina - ação sobre as células endoteliais

Processo: 08/56391-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de abril de 2009
Vigência (Término): 31 de outubro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Geral
Pesquisador responsável:Regina Pekelmann Markus
Beneficiário:Kelly Dhayane Abrantes Lima
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:07/07871-6 - Eixo Imune-Pineal: produção endócrina e parácrina de melatonina em condições de injúria, AP.TEM
Assunto(s):Moléculas de adesão celular   Melatonina   Neutrófilos   Células endoteliais

Resumo

A melatonina, hormônio produzido pela glândula pineal de vertebrados no período escuro, atua como hormônio endócrino, também pode ser produzida por outras células e tecidos tendo neste caso ação parácrina e/ou autócrina. Várias funções fisiológicas e fisiopatológicas são atribuídas à melatonina, uma das principais razões para essa grande diversidade de efeitos, é a sua capacidade de atuar por diferentes mecanismos de ação, podendo por exemplo, atuar por receptores de membrana para melatonina (MT1, MT2 e MT3). Edemas e granulomas desenvolvidos em processos inflamatórios agudos ou crônicos apresentam uma ritmicidade diária. No escuro ocorre uma redução da migração leucocitária induzida por carragenina e melatonina aplicada localmente reduz a interação neutrófilo-endotélio medida por microscopia intravital. Os mecanismos de ação da melatonina variam de acordo com o modelo estudado e, principalmente, de acordo com a concentração de melatonina necessária para obtenção de seus efeitos, por este motivo os inúmeros mecanismos de ação possíveis tem sido um grande desafio para o estudo dos efeitos fisiológicos da melatonina. Como a melatonina atua em 2 faixas muito diferentes de concentração, sendo que a próxima as concentrações plasmáticas encontradas no pico noturno (pM-nM) relacionada principalmente a funções ligadas aos ritmos circadianos e sazonais e outras ações são alcançadas com concentrações muito maiores (μM-mM) é altamente necessário a determinação da relação concentração-efeito para cada um dos efeitos conhecidos da melatonina. Resultados prévios mostram que a melatonina (1 nM) modula a interação neutrófilo-endotélio, por atuar apenas em células endoteliais e não em neutrófilos. Uma ferramenta importante para o estudo da relação concentração-efeito é o uso de técnicas in vitro que permite a simplificação do desenho experimental. Neste trabalho a interação neutrófilo-endotélio será testada através da adesão de neutrófilos em células endoteliais (cultura primária), segundo técnica desenvolvida em nosso laboratório. Esta técnica permitirá testes ex-vivo (tratamento do animal) e testes incubando células endoteliais ou neutrófilos com fármacos de forma isolada ou de forma conjunta. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
LIMA, Kelly Dhayane Abrantes. Modulação da interação neutrófilo-endotélio in vitro por melatonina: ação sobre as células endoteliais. 2011. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Biociências São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.