Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do uso da cela de reação dinâmica em espectrometria de massas com plasma acoplado indutivamente (DRC-ICP-MS) para determinação direta de 20 elementos químicos em sangue

Processo: 07/04593-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2008
Vigência (Término): 31 de maio de 2009
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Pesquisador responsável:Fernando Barbosa Júnior
Beneficiário:Bruno Lemos Batista
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Elementos-traço

Resumo

Atualmente está ocorrendo uma transição dentro dos laboratórios clínicos, especializados na análise de metais, o uso da técnica de espectrometria de massas com plasma acoplado indutivamente (ICP-MS) ao invés da espectrometria de absorção atômica com chama (FAAS) ou com forno de grafite (GF AAS). Esta transição está ocorrendo pelo fato do ICP-MS ter se tornado uma técnica mais acessível economicamente e os métodos desenvolvidos para ensaios clínicos mais robustos. Além disso, a técnica de ICP-MS oferece a possibilidade de análises simultâneas com limites de detecção muito baixos que tornam esta técnica satisfatória para estudos de biomonitoramento. A análise de amostras pelo ICP-MS por injeção direta diminui o tempo de pré-tratamento da amostra, o risco de contaminação e o branco analítico, aumentando o número de amostras analisadas em um dia de trabalho. Para correção de interferências emprega-se a calibração com ajuste de matriz (matrix-matching). Entretanto, devido à complexidade das amostras clinicas, que contêm altas concentrações de substâncias orgânicas e inorgânicas, torna-se necessária à utilização de outros recursos que reduzam as interferências isobáricas dada à formação de compostos (íons) poliatômicos. Assim, normalmente são necessários equipamentos contendo acessórios tais como a cela de colisão (CC-ICP-MS) e reação dinâmica (DRC-ICP-MS) que eliminam interferências isobáricas sem que haja perda da sensibilidade. Assim, este projeto propõe uma metodologia rápida, simples e sensível para análise de Mg, Fe, Si, P, V, Cr, Mo, Mn, Co, Cu, Zn, Se, Cd, Hg, Al, Tl, Pb, As, Li e Pt por injeção direta de amostras de sangue diluído utilizando um equipamento DRC-ICP-MS e calibração com ajuste de matriz e/ou calibração em meio aquoso. Como gás de reação avaliaremos os gases metano, mistura H2 5% + Ar 95% e gás hélio. Para a validação do método serão analisados Materiais de Referência Certificada provenientes da NIST e do Departamento de Saúde do Estado de Nova York, nos Estados Unidos. Finalmente, espera-se colaborar em estudos interdisciplinares com outros grupos da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto e da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto-USP, aplicando o método proposto em rotina para determinação de metais em fluidos biológicos em estudos de deficiência nutricional e toxicologia.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
BATISTA, Bruno Lemos. Avaliação do uso da cela de reação dinâmica em espectrometria de massas com plasma acoplado indutivamente (DRC-ICP-MS) para determinação de elementos químicos em sangue. 2009. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto Ribeirão Preto.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.