Busca avançada
Ano de início
Entree

Participação dos receptores m1 na memória do contexto e na associação contexto-choque durante a tarefa de condicionamento de medo ao contexto.

Processo: 07/06815-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2008
Vigência (Término): 30 de setembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Maria Gabriela Menezes de Oliveira
Beneficiário:Ricardo Teixeira Mazzeo
Instituição-sede: Departamento de Psicobiologia. Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Escopolamina   Memória emocional   Psicobiologia

Resumo

Alguns estudos sugerem a participação de receptores muscarínicos tanto na aquisição como na consolidação de tarefas que avaliam a memória espacial e emocional, como o condicionamento de medo ao contexto (CMC). Durante a aquisição desta tarefa, o animal precisa inicialmente construir uma representação do ambiente do treino, para depois associar essa representação com o choque nas patas e conseqüentemente, adquirir o medo condicionado ao contexto. Se, no dia do treino, o animal não tiver um tempo hábil para formar essa representação; isso ocorre se o choque for dado imediatamente após colocar o rato na caixa de condicionamento; ele não mostrará uma resposta de medo condicionado no dia do teste. Entretanto, se o animal for pré-exposto ao contexto do treino no dia anterior, esse mesmo procedimento com o choque imediato produzirá uma resposta de medo condicionado significante no dia do teste. Esse efeito é chamado de facilitação pela pré-exposição ao contexto. Alguns estudos verificaram que a escopolamina, um antagonista não-seletivo de receptores M1, prejudicou a aquisição da tarefa de CMC. Entretanto, como nesses estudo o treino foi realizado em um único dia, não foi possível inferir se a droga afetou a aquisição da representação do contexto do treino (memória do contexto), ou a associação do contexto com o choque nas patas (associação contexto-choque). Portanto, este estudo pretende verificar os efeitos da escopolamina tanto durante a formação da memória do contexto, como durante a associação contexto-choque. Para isso os animais serão submetidos a uma sessão de pré-exposição, e passarão por uma sessão de treino com um choque imediato no dia seguinte. A escopolamina será administrada tanto antes como imediatamente após as duas sessões, para verificar os efeitos do bloqueio dos receptores muscarínicos na aquisição e consolidação da memória do contexto e da associação contexto-choque, com a finalidade de compreender o envolvimento destes receptores nos processos subjacentes à memória espacial e à memória emocional. Se a administração de escopolamina no dia da pré-exposição prejudicar o desempenho dos animais, poderemos supor que os receptores muscarínicos do hipocampo estão envolvidos com a formação da representação do contexto, e conseqüentemente, com a memória espacial. Por outro lado, se a administração da droga apenas no dia do treino com o choque imediato provocar um prejuízo nesta tarefa, poderemos inferir que os receptores muscarínicos hipocampais são também importantes para a associação do contexto previamente aprendido com o choque nas patas, indicando a participação destes receptores na memória emocional.