Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do veneno de Apis mellifera sobre anticorpo anti-colágeno tipo II, interleucina 6 e peptidases do líquido e membrana sinoviais e de leucócitos circulantes em ratos com artrite induzida por colágeno tipo II

Processo: 07/06829-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2008
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Comparada
Pesquisador responsável:Paulo Flávio Silveira
Beneficiário:Simone Cristina Yamasaki
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Colágeno tipo II   Bioprospecção   Peptídeo hidrolases   Apis mellifica   Artrite reumatoide   Venenos

Resumo

A artrite reumatóide afeta cerca de 1% da população mundial. É caracterizada por infiltrado celular nas membranas sinoviais, erosão progressiva da cartilagem e ossos e formação de pannus das articulações afetadas, além de resposta auto-imune contra componentes da cartilagem e presença de fatores reumatóides. Diversos mecanismos estão relacionados ao estabelecimento e cronicidade da doença, como atuação de macrófagos, neutrófilos, linfócitos T e B, células dendríticas, bem como formação de imunocomplexos, angiogênese e liberação de citocinas e quimiocinas. O veneno de abelhas tem sido utilizado na medicina oriental para o tratamento de doenças inflamatórias, como a artrite reumatóide, por diminuir a dor e a inflamação. Por sua vez, a destruição da cartilagem, os mecanismos inflamatórios e o processamento antigênico têm sido associados a enzimas, como aminopeptidases neutra (APN), básica (APB) e dipeptidil-peptidase IV (DPP-IV), e prolil oligopeptidase (POP). Neste projeto, serão analisados: (1) o envolvimento das atividades APN, APB, DPP-IV e POP no plasma e líquido e membrana sinoviais, bem como em células mononucleares e polimorfonucleares circulantes, ex vivo e in vitro, em ratos com a artrite induzida por colágeno tipo II; e (2) se as alterações nos níveis dessas atividades peptidásicas e de marcadores inflamatórios, como o anticorpo anti-colágeno tipo II e a interleucina (IL)-6, seriam mitigadas após o tratamento com veneno da abelha Apis mellifera (BV) e/ou metotrexato (MTX) (medicamento comumente usado na artrite reumatóide). Este estudo pretende contribuir no esclarecimento da etiologia da artrite reumatóide e na avaliação dos efeitos anti-artríticos do BV e das peptidases como marcadores diagnósticos e alvos terapêuticos desta patologia.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MARINHO, CAMILA EDUARDO; ALMEIDA SANTOS, SELMA MARIA; YAMASAKI, SIMONE CRISTINA; SILVEIRA, PAULO FLAVIO. Peptidase activities in the semen from the ductus deferens and uterus of the neotropical rattlesnake Crotalus durissus terrificus. JOURNAL OF COMPARATIVE PHYSIOLOGY B-BIOCHEMICAL SYSTEMIC AND ENVIRONMENTAL, v. 179, n. 5, p. 635-642, JUL 2009. Citações Web of Science: 5.
MARINHO, CAMILA EDUARDO; ALMEIDA-SANTOS, SELMA MARIA; CARNEIRO, SYLVIA MENDES; YAMASAKI, SIMONE CRISTINA; SILVEIRA, PAULO FLAVIO. Peptidase activities in Crotalus durissus terrificus semen. Reproduction, v. 136, n. 6, p. 767-776, DEC 2008. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.