Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos de organoteluranas no estresse oxidativo, na homeostase do cálcio intracelular e na expressão de enzimas antioxidantes: Estudos em células, mitocôndrias isoladas e modelos de membranas

Processo: 08/00030-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2008
Vigência (Término): 30 de junho de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Metabolismo e Bioenergética
Pesquisador responsável:Iseli Lourenço Nantes Cardoso
Beneficiário:Felipe Samuel Pessoto
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Mitocôndrias   Estresse oxidativo

Resumo

Os estudos da literatura envolvendo organoteluranas revelam que estes compostos possuem eficientes propriedades antioxidantes, bem como a habilidade de reagir com grupos tiol de proteínas. Em trabalho prévio de nosso laboratório (Pessoto et al., Dissertação de Mestrado e Chem. Res. Toxicol., 2007, 20, 1453-1461) analisamos o efeito da concentração de organoteluranas, RT-03 e RT-04, em mitocôndrias de fígado de rato. Os efeitos nas mitocôndrias foram dependentes da concentração de telurana e variaram de proteção contra oxidação lipídica até abertura do poro de transição de permeabilidade mitocondrial (PTPM) de forma Ca2+ e ciclosporina A-dependente e -independente. Esses efeitos foram causados pela ação química, isto é reatividade com tiol de proteínas e por ação física, isto é, alteração da fluidez de membranas. Considerando que, não há consenso na Literatura quanto à especificidade das proteínas que compõem o PTPM, mas o o translocador ATP/ADP (ANT) é uma das proteínas postuladas como integrante do PTPM, pretendemos investigar a reatividade de teluranas com (ANT) isolado e incorporado em lipossomos e identificar, por meio de eletroforese bidimensional e espectrometria de massa, quais proteínas da membrana mitocondrial reagem com as teluranas. Por outro lado, devido a eficiente ação antioxidante, as teluranas não induziram o estresse oxidativo nos lipídeos de membrana e na matriz mitocondrial mesmo tendo depletado glutationa, por isso mostra-se interessante determinar se as teluranas afetam o tráfego de Ca2+ nas células por meio microinjeção das drogas e acompanhamento das alterações no Ca2+ celular por microscopia confocal e de fluorescência. Ainda com relação ao estresse oxidativo, é de grande interesse verificar se as teluranas afetam a expressão de enzimas antioxidantes tais como SOD, catalase e glutationa peroxidase. A expressão de enzimas antioxidantes será investigada por RT-PCR. Efetuaremos também estudos de EPR com spin trapping para determinar os mecanismos de reação das teluranas com biomoléculas

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)