Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo de expressão dos genes no processo de florescimento em laranjeiras valência

Processo: 08/02248-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2008
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:Marcos Antonio Machado
Beneficiário:Valéria Mafra Cota
Instituição-sede: Instituto Agronômico (IAC). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Citrus   Floração   Fisiologia vegetal   Expressão gênica

Resumo

Os laranjais paulistas apresentam baixa eficiência produtiva e alternância de safra em alguns casos. O manejo agrícola visando à estabilidade da produção depende da melhor compreensão da interação entre os fatores ambientais e os processos bioquímicos e moleculares que a determinam. A expressão de cada processo, em integração com o ambiente, depende da constituição genética da planta. A laranjeira é uma planta perene que possui as duas fases do desenvolvimento, juvenil e adulta bem distinta. A transição entre a fase juvenil e adulta é acompanhada por várias modificações no padrão de morfogênese e diferenciação de células do meristema. O florescimento é um processo altamente regulado, que envolve uma complexa rede de rotas de sinalização. Muitas destas rotas convergem na ativação de um conjunto comum de genes, quando a planta pode responder de forma coordenada sobre condições nas quais vários estímulos estão atuando simultaneamente. Os rápidos avanços obtidos com a planta modelo Arabdopsis thaliana têm permitido aos pesquisadores realizar investigações similares em espécies perenes como os citros, uma vez que, em geral, os mesmos genes parecem estar envolvidos com a iniciação floral, formação de flores e desenvolvimento dos frutos. Sendo assim, o presente trabalho objetiva na primeira fase investigar o perfil de expressão gênica de cinco genes putativos, homólogos a genes do modelo ABC em Arabdopsis. Estes genes putativos serão selecionados a partir do banco de dados de citros (CitEST), do Centro Apta Citros Sylvio Moreira, e o perfil de expressão gênica será avaliado por PCR quantitativo em tempo real (qPCR). Na segunda fase do projeto, outros cinco genes, que demonstrarem expressão diferencial nos experimentos de microarray, desenvolvidos no Projeto Temático associado, serão igualmente validados por qPCR. Para tanto, serão utilizadas plantas de laranjeira Valência (variedade tardia), enxertadas sobre tangerina Cleópatra, em diferentes fases de indução e desenvolvimento floral.