Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do processo de craqueamento térmico de frações residuais do petróleo

Processo: 08/02340-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2008
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2009
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química - Operações Industriais e Equipamentos para Engenharia Química
Pesquisador responsável:Rubens Maciel Filho
Beneficiário:Monica Rocio Ramirez Hernandez
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia Química (FEQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil

Resumo

A capacidade que a planta de refino de petróleo possui para converter frações pesadas, de baixo valor agregado, em frações leves tem influencia direta na rentabilidade do refino. A fim de atender a demanda por derivados mais leves e, consequentemente, adequar o perfil do refino ao da demanda do mercado é necessário dispor dos processos de transformação de frações pesadas e resíduos em frações leves e médias. Embora o emprego de processos catalíticos seja crescente, os resíduos da destilação de petróleo continuam sendo craqueados termicamente. Esta forma de conversão de frações residuais e também muito adequada para petróleos pesados e ultra-pesados como os encontrados no Brasil de forma que novas unidades são necessárias para atender a demanda do país. Além disto para atingir alto desempenho operacional levando a menores custos de produção é necessário desenvolver políticas operacionais adequadas para a matéria prima nacional. Para tanto é necessário estudos e investigações dos fenômenos que ocorrem no processo com a elaboração de modelos que permitam reproduzir situações operacionais de forma que extensiva análise possa ser feita com relativamente menores custos e mais rápida quando comparada com estudos puramente experimentais.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
HERNANDEZ, Monica Rocio Ramirez. Estudo do processo de craqueamento termico de frações residuais do petroleo. 2009. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Faculdade de Engenharia Química.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.