Busca avançada
Ano de início
Entree

Impacto da cinesioterapia e dos exercícios hipopressivos nas disfunções do assoalho pélvico feminino

Processo: 08/07758-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2009
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Marair Gracio Ferreira Sartori
Beneficiário:Ana Paula Magalhães Resende Bernardes
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Cinesioterapia   Ginecologia

Resumo

Objetivos: Propusemo-nos, neste estudo, a avaliar os efeitos do treinamento funcional e da ginástica hipopressiva em mulheres com prolapso genital. Casuística e Métodos: Estudo clínico randomizado, prospectivo e observacional. 63 mulheres na menacme com diagnóstico prévio de prolapso de parede vaginal posterior estádio ICS I ou II participarão deste estudo. A seguir, as mesmas serão randomizadas, de forma que poderão pertencer a um dos três grupos (de 21 mulheres cada) a seguir: GI: Grupo que passará por avaliação médica e não sofrerá intervenção durante a pesquisa (grupo controle); GII: Grupo que se submeterá à avaliação médica e ao treinamento funcional em grupo sob supervisão de fisioterapeutas; GIII: Grupo que se submeterá à avaliação médica e que realizará ginástica hipopressiva sob supervisão de fisioterapeutas. Método: As pacientes serão avaliadas por meio de anamnese e exame ginecológico por médicos. A seguir, submeter-se-ão a exame ultra-sonográfico para avaliar os aspectos anatômicos do assoalho pélvico. De forma semelhante, realizaremos avaliação fisioterapêutica composta de avaliação subjetiva e objetiva. Na avaliação subjetiva utilizaremos as escalas AFA e PERFECT que são obtidas por meio de exame físico. Por sua vez, a avaliação objetiva consistirá da realização de exame de eletromiografia e perineometria. Na avaliação fisioterapêutica inicial e no 3°, 6° mês e um ano de tratamento serão aplicados os questionários SF-36, P-QOL e PISQ-12, para avaliar qualidade de vida geral e específica para o prolapso genital e a função sexual, respectivamente. Além disso, a avaliação subjetiva e objetiva será efetuada nestes mesmos períodos. A ultra-sonografia será feita na avaliação médica inicial, no 3º, 6º mês e após um ano da inclusão da paciente. Os resultados obtidos serão então comparados entre os diversos grupos estudados.