Busca avançada
Ano de início
Entree

Educação não-formal e o desenvolvimento da competência social

Processo: 08/07961-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2009
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Educação - Tópicos Específicos de Educação
Pesquisador responsável:Roberto da Silva
Beneficiário:Carla Juliana Pissinatti Borges
Instituição-sede: Faculdade de Educação (FE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Educação não formal   Educação social   Pedagogia social   Movimentos sociais   Terceiro setor

Resumo

Um dos maiores desafios que se interpõem à educação neste início de século é encontrar as bases para se promover uma formação de qualidade para todos. Entretanto, definir qualidade e os principais caminhos para alcançá-la não tem se mostrado tarefa simples, nem consensual. Entre as diversas propostas, surge a ideia da educação para a construção de competências e habilidades, que tem encontrado eco entre teóricos de todo o mundo e, mais recentemente, também entre as autoridades nacionais. Tal é o caso do Brasil, que coloca a concepção de competências e habilidades à base de suas recentes reformas educativas em todos os níveis. No entanto, a maioria das discussões sobre competências tem se focado sobre a esfera formal. Isso significa dizer que os esforços científicos, nacionais e internacionais, para compreender o desenvolvimento de competências estão voltados quase exclusivamente sobre estratégias escolares, negligenciando o imenso universo de práticas educativas concebidas em contextos menos formais, mas que podem revelar-se estimuladores privilegiados de certas competências. Entre elas, estaria a que chamamos competência social, entendida aqui como a convergência e aplicação de diversos fatores pessoais e interpessoais em função do bem-estar social. A presente proposta tem como intuito, pois, suprir essa lacuna e explorar as possibilidades educativas oferecidas pela educação não-formal a partir da perspectiva de competências. Mais precisamente, queremos compreender se esferas não-formais podem congregar elementos favoráveis ao desenvolvimento da competência social e quais suas implicações práticas. Pretendemos, assim, contribuir para a expansão do debate sobre para além dos limites da educação escolar, sugerindo uma revisão e ampliação do próprio conceito de educação. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
BORGES, Carla Juliana Pissinatti. O debate internacional sobre competências: explorando novas possibilidades educativas. 2010. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Educação São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.