Busca avançada
Ano de início
Entree

Participação dos sistemas nitrérgico e do monóxido de carbono na liberação de vasopressina e ocitocina em resposta a expansão do volume extracelular

Processo: 09/01853-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2009
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:José Antunes Rodrigues
Beneficiário:Luís Fernando Matos Bastianini
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:03/00327-8 - Estudo integrado do equilíbrio hidrossalino: aspectos fisiológicos e moleculares da regulação neuroendócrina e avaliação de aspectos clínicos e experimentais, AP.TEM
Assunto(s):Ocitocina   Neuroendocrinologia   Vasopressinas

Resumo

Neste estudo, verificaremos a participação dos sistemas nitrérgico e do monóxido de carbono na secreção de hormônios neurohipofisários, vasopressina (AVP) e ocitocina (OT), em resposta a expansão (iso- e hipertônica) do volume extracelular, bem como o efeito desta expansão sobre a expressão da sintase óxido nítrico neuronal (NOSn) e da heme-oxigenase (HO), nos núcleos supraóptico (SON) e paraventricular (PVN). Estudos deste e de outros laboratórios mostraram que a enzima NOS, responsável pela sintese de óxido nítrico (NO), está presente em várias regiões no sistema nervoso central (SNC), inclusive nos núcleos PVN e SON podendo modular, direta ou indiretamente, a função neuroendócrina, desempenhando uma função inibitória sobre a liberação plasmática de AVP e OT. Do mesmo modo, foi caracterizada a presença da enzima heme oxigenase no SNC, bem como em neurônios dos núcleos PVN e SON. Esta enzima HO cliva o heme dando origem ao monóxido de carbono (CO), biliverdina e ferro. Mancuso e cols (1997) demonstraram que o CO produzido endogenamente inibe a liberação de AVP no hipotálamo de rato, bem como a secreção de ocitocina. Evidências experimentais revelaram a existencia de uma interação do NO com o CO, uma vez que a geração de CO, pela enzima HO, pode ligar-se a enzima NOS inativando-a controlando a produção de NO. Por outro lado, Motterlini e cols. (1996) mostraram que a utilização de doadores de NO podem aumentar a atividade da enzima HO. Outros estudos mostram ainda a coexistência das enzinas NOS e HO numa mesma população neuronal dos núcleos PVN e SO. Deste modo, a relação entre os dois sitemas sugere um papel fundamental na regulação neuroendócrina. Diante disto, o nosso principal objetivo visa o estudo da interação destes dois sistemas de neurotransmissores na liberação de AVP e OT, em animais submetidos à expansão (iso-ou hipertônica) do volume do líquido extracelular. Além disto, analisaremos a expressão da NOSn e da HO-1 no PVN e SON frente aos mesmos paradigmas experimentais. Para tanto, utilizaremos um inibidor da enzima heme oxigenase (CrMP, cromo meso porfirina) ou um substrato da HO (heme-lisinato) administrados centralmente, e por meio de um modelo experimental amplamente utilizado no laboratório: serão feitas alterações de volume e osmolalidade do líquido extracelular para ser avaliada a resposta neuroendócrina. Assim, buscaremos estabelecer se há e qual é a inter-relação do sistema nitrérgico com o monóxido de carbono na secreção dos hormônios neurohipofisários no controle hidroeletrolítico.