Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da via da AMPK na adaptação metabólica hepática durante o período perinatal

Processo: 09/02651-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2009
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia
Pesquisador responsável:Silvana Auxiliadora Bordin da Silva
Beneficiário:Sandra Campos Rodrigues
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Gravidez   Gluconeogênese   Proteínas quinases ativadas por AMP   Resistência à insulina   Fisiologia endócrina

Resumo

Durante a gravidez ocorrem inúmeras alterações metabólicas delicadamente reguladas que visam a manter constante o fluxo de substratos energéticos da mãe para o feto, tais como resistência à insulina no tecido adiposo e muscular da gestante. No fígado, muitas proteínas de ações cruciais nas alterações do fluxo energético ainda não apresentam papel claro nas adaptações metabólicas características do período perinatal. Sabe-se que vias independentes da sinalização pela insulina, como a via do AMPK, têm grande importância na regulação de eventos metabólicos, como translocação de GLUT4 e ativação de gliconeogênese no fígado. A AMPK é ativada quando a razão AMP/ATP intracelular aumenta e promove aumento das vias catabólicas e redução do consumo de ATP, inibindo a produção de glicose, estimulando a oxidação de ácidos graxos e inibindo a síntese de triglicerídeos no tecido hepático. Dados recentes apontam para diminuição de receptor de insulina (IR) em gestantes, porém com aumento da produção hepática de glicose, o que parece ser contraditório. Portanto, o presente projeto visa a esclarecer a participação da via da AMPK na produção hepática de glicose de ratas grávidas. Serão utilizadas ratas Wistar virgens, grávidas e lactantes para a quantificação do conteúdo de glicogênio hepático e para estimar a taxa de gliconeogênese através do teste de tolerância intraperitoneal ao piruvato. Frações dos fígados desses animais serão utilizadas para quantificar as seguintes proteínas nas formas expressa e fosforilada: AMPK, ACC, IRS-1, IRS-2, IR e AKT por western blot. Além disso, a expressão dos genes codificadores dessas proteínas e outros possíveis candidatos à jusante destas vias serão avaliados por PCR em tempo real.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
RODRIGUES, Sandra Campos. Avaliação funcional e molecular de adaptações no metabolismo energético hepático ao final do período de prenhez em ratas.. 2011. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Ciências Biomédicas São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.