Busca avançada
Ano de início
Entree

Materiais óxidos magnéticos nanoestruturados

Processo: 09/03197-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2009
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2011
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:Paulo Noronha Lisboa Filho
Beneficiário:Larisa Baldo de Arruda
Instituição-sede: Faculdade de Ciências (FC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Bauru. Bauru , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:07/08072-0 - Pesquisa fundamental em supercondutividade e magnetismo - sistemas com potencial para aplicações: óxidos avançados e supercondutores dotados de estruturas artificiais, AP.TEM
Assunto(s):Semicondutores   Síntese química   Óxidos semicondutores   Sonoquímica   Magnetismo

Resumo

Há cerca de 20 anos foi descoberto o efeito magnetoresistivo em multicamadas magnéticas. Desde então, a spintrônica evoluiu de um fenômeno científico complexo para tornar-se uma tecnologia multibilionária. Dentre os parâmetros necessários para o desenvolvimento da spintrônica - a nova eletrônica que se baseia na manipulação não somente da carga mas também do spin dos portadores -, está o controle eficiente da injeção e a detecção de portadores polarizados em spin através de uma interface ferromagneto/semicondutor(isolante) - FM/SC(I) . A utilização de semicondutores magnéticos diluídos (SMD) como ferromagnetos polarizadores de corrente é uma solução possível para melhorar a eficiência na injeção de correntes de spins. A despeito do bom desempenho obtido com os SMDs funcionais desenvolvidos até hoje, sua baixa temperatura crítica impossibilite a utilização em temperatura ambiente. Atualmente, o progresso no campo da spintrônica depende fortemente do desenvolvimento de novos SMDs, nos quais as informações de carga e spin possam ser manipuladas externamente em altas temperaturas. Em especial, é possível o desenvolvimento de semicondutores magnéticos diluídos que sejam transparentes, aumentando em muito seu potencial de aplicação em dispositivos magneto-óticos, o que os torna naturalmente muito mais interessantes do que eletrodos ferromagnéticos metálicos. A presente proposta se enquadra no plano de ampliação das linhas de atuação do grupo que inclui a implementação de técnicas sonoquímicas de síntese de materiais nanoestruturados com potenciais aplicações em spintrônica. A mesma está baseada na preparação de amostras nanoscópicas de ZnO e TiO2 dopados com Co2+ preparados por irradiação ultrasônica e que terão sua estrutura investigada pelas técnicas de difração de Raios X (DRX), espectroscopia na região do infravermelho (IRFT) e microscopias eletrônicas (MEV e TEM). A caracterização óptica será realizada por medidas de espectros na região do UV-Vis entre 300 e 800 nm e avaliações do gap óptico dos diferentes espécimes preparados. Por fim, a caracterização magnética das amostras será realizada por técnicas de Magnetização por Temperatura (M vs. T) e Magnetização por Campo magnético Aplicado (M. vs. H).

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
ARRUDA, Larisa Baldo de. Materiais óxidos magnéticos nanoestruturados. 2011. 102 f. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista. POSMAT - Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Materiais. Bauru.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.