Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da Serotonina sobre a capacidade osteogênica de células tronco mesenquimais portadoras da mutações no gene FGFR2.

Processo: 09/03599-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2009
Vigência (Término): 31 de julho de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Maria Rita dos Santos e Passos Bueno
Beneficiário:Rodrigo Atique Ferraz de Toledo
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Osteogênese   Genética médica

Resumo

A síndrome de Apert é uma craniossinostose, que na maioria dos casos se origina de mutações do tipo ganho de função no gene FGFR2. Devido à natureza deste tipo de mutação, os pacientes são submetidos a diversas cirurgias durante suas vidas pois há um intenso processo de reossificação das suturas cranianas até a puberdade. Deste modo o desenvolvimento de novas terapias que reduzam a capacidade osteogênica destes pacientes é importante. Recentemente foi demonstrado que a serotonina é capaz de reduzir a proliferação de osteoblastos, fase imprescindível na diferenciação osteogênica. Como a serotonina é capaz de controlar a proliferação dos osteoblastos, nossa hipótese é que o tratamento com serotonina possa atuar como antagonista da mutação p.Ser252Trip, isto é, seja capaz de diminuir a taxa aumentada de proliferação das células portadoras da mutação p.Ser252Trip /FGFR2, e conseqüentemente reduzir a capacidade de diferenciação óssea de osteoblastos e mesmo de outras células mesenquimais.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
TOLEDO, Rodrigo Atique Ferraz de. Estudo funcional de células derivadas do periósteo portadoras da mutação p.S252W em FGFR2: alterações fenotípicas e moleculares. 2012. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Biociências São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.