Busca avançada
Ano de início
Entree

Demografia de Queixada (Tayassu pecari) analisada através de DNA fecal no núcleo Santa Virgínia do Parque Estadual da Serra do Mar, SP.

Processo: 09/03667-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2009
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética
Pesquisador responsável:Pedro Manoel Galetti Junior
Beneficiário:Ana Carolina Dalla Vecchia
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:07/03392-6 - Efeitos de um gradiente de defaunação na herbivoria, predação e dispersão de sementes: uma perspectiva na Mata Atlântica, AP.TEM
Assunto(s):Demografia

Resumo

Tayassu pecari, popularmente conhecido como queixada, distribui-se do Sul do México ao norte da Argentina. Apesar dessa espécie não ser considerada como ameaçada de extinção, devido à sua grande distribuição em algumas regiões da Amazônia e do Pantanal, a pressão causada pela caça e pela perda e fragmentação de habitats fez com que as populações de queixada se tornassem raras na Mata Atlântica. Microssatélites são pequenas sequências, de 1 a 6 pb, que apresentam-se repetidas em tandem no genoma dos eucariotos. Essas seqüências possuem um alto grau de polimorfismo, que pode ser usado na identificação individual. Dessa maneira, ferramentas moleculares nos permitem acessar informações seguras sobre a estrutura da população, como áreas de ocupação e tamanho populacional. Técnicas não-invasivas de obtenção de DNA, como por exemplo, através de fezes ou pêlos, são bastante indicadas no estudo de populações ameaçadas, uma vez que minimizam os prejuízos causados ao indivíduo durante a captura. As fezes de T. pecari e Pecari tajacu (cateto) não são passíveis de serem discriminadas em campo. A fim de podermos identificar a qual espécie pertence cada amostra de fezes coletada, será estabelecido um barcode capaz de separá-las. Esse estudo será conduzido com fezes de pecarídeos coletadas no Núcleo Santa Virgínia do Parque Estadual da Serra do Mar, no município de Ubatuba e tem como objetivo o desenvolvimento de um barcode para a identificação da espécie que depositou as fezes bem como a prospecção de marcadores microssatélites para a identificação individual de T. pecari. Estes marcadores serão utilizados, posteriormente, na determinação da distribuição, tamanho populacional mínimo e demografia de T. pecari na região de estudo.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)