Busca avançada
Ano de início
Entree

Uso de colírios a base de Citrus lemon no reparo de lesão corneana em coelhos. Avaliação clínica, histomorfométrica e imunoistoquímica

Processo: 09/04108-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2009
Vigência (Término): 31 de julho de 2011
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Cláudia Valéria Seullner Brandão
Beneficiário:Cintia Sesso Perches
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Imuno-histoquímica   Coelhos   Histomorfometria   Oftalmologia   Úlcera   Córnea

Resumo

A córnea é a estrutura anterior transparente do olho e apresenta-se muito suscetível a traumas e agressões, que podem causar úlcera corneana. Os óleos extraídos de plantas aromáticas são conhecidos por suas propriedades anti-sépticas, sendo utilizados na preservação de alimentos, e como antimicrobianos, analgésicos, anti-inflamatórios sedativos e agentes anestésicos locais. Em um estudo com úlcera gástrica experimental em ratos evidenciou-se um recrutamento de neutrófilos e aumento da neovascularização e celularidade na região da úlcera, diminuindo o tempo de cicatrização. O objetivo do presente estudo será avaliar e comparar, clinicamente, por exame histomorfométrico e imunoistoquímico para a marcação de PCNA, o processo de reparação corneana em úlceras experimentais em coelhos, frente a utilização de colírios a base de óleo essencial de Citrus lemon em diferentes concentrações, produto este ainda não testado em úlceras de córnea. Serão utilizadas 50 fêmeas da espécie leporina, constituindo-se 5 grupos experimentais de 10 animais cada, designados grupo controle (GC), grupo Tween 80 8% (GT), e 3 grupos a base de colírio de Citrus lemon (GL), em diferentes concentrações, sendo 1,5% (GL1,5), 3% (GL3), 5% (GL5). Em todos os animais será feita cirurgicamente a úlcera experimental. No GC, os coelhos receberão colírio substituto da lágrima e no GT colírio a base de Tween 80 a 8%, ambos 4 vezes ao dia. Nos grupos GL, será aplicado colírio de Citrus lemon, nas concentrações descritas, a cada 6 horas. Os grupos experimentais serão subdivididos em dois subgrupos com cinco animais cada, de acordo com os períodos finais de avaliação. O primeiro subgrupo (M1) será avaliado por 24 horas e o segundo (M5) por 5 dias. Após os respectivos tempos de avaliação clínica, os animais serão eutanasiados, enucleados e as córneas processadas para a avaliação histomorfométrica e imunoistoquímica.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
PERCHES, Cintia Sesso. Uso de colírios à base de Citrus lemon no reparo de úlcera de córnea induzida em coelhos : avaliação clínica, histomorfométrica e imuno-histoquímca. 2011. 84 f. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia. Botucatu.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.