Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da privação e restrição de sono na integridade da pele: quantificação de colágeno na pele de camundongos hairless

Processo: 09/04240-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2010
Vigência (Término): 30 de setembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Pesquisador responsável:Monica Levy Andersen
Beneficiário:Vanessa Kahan
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:98/14303-3 - Center for Sleep Studies, AP.CEPID
Assunto(s):Pele   Privação de sono   Colágeno

Resumo

A pele é o maior órgão do corpo humano, sendo composta principalmente por elastina, colágeno e glicosaminoglicanos. Sendo assim, o colágeno possui um papel fundamental na estrutura e integridade dos organismos. Toda a seqüência de eventos que ocorrem para a formação do colágeno pode ser afetada por fatores endógenos e exógenos, como por exemplo, a liberação de IL-1, que é capaz de aumentar a produção de colágeno do tipo IV no epitélio de camundongos, a produção de fibroblastos e causa também uma redistribuição dimensional do colágeno. Diversos trabalhos na literatura evidenciam que o sono desempenha uma função restauradora no funcionamento do sistema imunológico. Alterações nesses mecanismos podem afetar a produção de colágeno. Vários dos efeitos da restrição de sono a longo prazo em ratos sugerem uma ruptura na função de barreira da pele e mucosas. Sendo assim, a redução do tempo de sono parece afetar de várias maneiras a composição e a integridade de diversos sistemas. Portanto, o presente projeto visa avaliar os efeitos da restrição aguda e crônica de sono na integridade da pele. Serão utilizados camundongos adultos machos, hairless, distribuídos nos seguintes grupos: controle, privação de sono por 72 horas, rebote de sono após a privação (24 horas), restrição de sono (15 dias: 21 horas de privação de sono e 3 horas de oportunidade de sono na gaiola-moradia) e rebote de sono após a restrição (24 horas). Após o período experimental será realizada a extração do tecido com o auxílio de uma agulha de biópsia para a padronização do tecido. Será realizada a quantificação do colágeno existente através de análise morfológica e imunohistoquímica, avaliando assim as conseqüências do modelo de restrição de sono parcial e crônica na integridade da pele.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
KAHAN, V.; RIBEIRO, D. A.; EGYDIO, F.; BARROS, L. A.; TOMIMORI, J.; TUFIK, S.; ANDERSEN, M. L. Is Lack of Sleep Capable of Inducing DNA Damage in Aged Skin?. SKIN PHARMACOLOGY AND PHYSIOLOGY, v. 27, n. 3, p. 127-131, 2014. Citações Web of Science: 4.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.