Busca avançada
Ano de início
Entree

Pesquisa da ancestralidade genômica em uma população da Amazônia Ocidental Brasileira

Processo: 09/04924-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2009
Vigência (Término): 31 de agosto de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Andrea Regina de Souza Baptista
Beneficiário:Natália Guelfi Furlani
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São José do Rio Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Genética populacional   Grupos étnicos   Polimorfismo genético   Amazônia Brasileira   Malária

Resumo

A população brasileira é formada majoritariamente por três populações parentais: nativos americanos, europeus e africanos. Níveis significativos de miscigenação tri-híbrida já foram detectados em todas as regiões e níveis sócio-econômicos do país. Métodos estatísticos recentes e a possibilidade de genotipar um grande número de marcadores permitem estimar a miscigenação em nível individual. Em estudos epidemiológicos com desenho casos-controles, a heterogeneidade étnica entre estas categorias pode produzir resultados falsos positivos. Por este motivo, para este tipo de estudo, é importante estudar a miscigenação individual, assim como avaliar como a miscigenação influencia a estrutura genética das populações brasileiras. O controle do efeito da miscigenação, para evitar as associações espúrias em estudos casos controles pode ser feito estudando Marcadores Informativos de Ancestralidade (MIAs), os quais apresentam grandes diferenças de freqüência entre as populações parentais. Este conhecimento poderá contribuir para a futura definição dos níveis de estruturação populacional em grupos e sub-grupos que constituirão alvo de estudos epidemiológicos. Assim, permitirão o desenho otimizado dos mesmos, a fim de evitar resultados falsos positivos. Dentre estes grupos, são de particular relevância estudos que abordem os fatores genéticos que modulam a suscetibilidade à malária em regiões onde a população se encontra exposta em nível endêmico, como por exemplo, a que reside no município de Porto Velho (RO) e região. Considerando o acima exposto, o presente estudo tem por objetivos: a) descrever a ancestralidade genômica individual Ameríndia, Européia e Africana em indivíduos sadios e portadores de malária por Plasmodium falciparum da cidade de Porto Velho, RO (Amazônia Ocidental) e avaliar seu impacto no desenho de estudos epidemiológicos e b) determinar, a partir dos marcadores genotipados, a estrutura genética das populações de portadores de malária falciparum e indivíduos sadios da mesma região, em função dos níveis de miscigenação.