Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da participação de células T produtoras de IL-17 (Th17) na paracoccidioidomicose humana

Processo: 09/05377-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência (Início): 01 de abril de 2009
Vigência (Término): 31 de março de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Ronei Luciano Mamoni
Beneficiário:Ronei Luciano Mamoni
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/09176-6 - Avaliação da participação de células T produtoras de IL-17 (Th17) na paracoccidioidomicose humana, AP.JP
Assunto(s):Paracoccidioidomicose   Linfócitos T auxiliares-indutores   Células Th17   Citocinas   Neutrófilos

Resumo

A paracoccidioidomicose (PCM), causada pelo fungo dimórfico Paracoccidioides brasiliensis, pode ser classificada em duas formas clínicas principais: a forma adulta (FA) com evolução de caráter crônico, acometendo principalmente os pulmões, pele e mucosa e a forma juvenil (FJ) caracterizada pelo acometimento do sistema fagocítico-mononuclear, mais grave e de evolução mais rápida. Indivíduos moradores da zona endêmica expostos ao P. brasiliensis, podem apresentar a PCM-infecção (PI), considerada a forma de resistência da PCM. Indivíduos do grupo PI apresentam resposta imune celular preservada, produção aumentada de IFN-g e baixa de IL-10, IL-4 e IL-5. Já os pacientes com PCM apresentam desde uma resposta celular preservada com baixa produção de anticorpos e IFN-g na doença unifocal, até uma resposta celular deprimida, com presença de grande número de eosinófilos, alta produção de anticorpos (IgG4 e IgE), IL-4, IL-5, IL-10 e TGF-b na FJ ou na FA multifocal. Essas características demonstram que a resposta imunológica de suscetibilidade ou resistência à paracoccidioidomicose é em grande parte regulada por um balanço entre as respostas Th1 e Th2. Contudo, algumas características, como o fato de haver uma grande produção de mediadores inflamatórios e de IL-12p40, mas não de IL-12p70 e IFN-g, e da presença de infiltrado inflamatório, tanto no pulmão como em outros tecidos com um grande número de neutrófilos com atividade fungicida diminuída, não são explicadas por esse balanço. Essas características podem ser indícios da participação de células produtoras de IL-17 (Th17), uma subpopulação de linfócitos recentemente descrita. Tendo isso em vista, o objetivo desse projeto é avaliar a participação das células produtoras de IL-17 na paracoccidioidomicose humana, tanto localmente por meio da análise de biópsias de mucosa oral e linfonodos e do lavado bronco alveolar, como no sangue periférico de pacientes com paracoccidioidomicose confirmada. (AU)