Busca avançada
Ano de início
Entree

Localização da chaperone MDJ1 de Paracoccidioides brasiliensis: comparação entre isolados e espécies fúngicas correlatas submetidas a condições diversas de crescimento

Processo: 09/06618-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2009
Vigência (Término): 30 de abril de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Pesquisador responsável:Rosana Puccia
Beneficiário:Ítala Bruna Zábulon Dourado
Instituição-sede: Departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia. Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:06/05095-6 - Análise de estruturas vesiculares exportadas e de moléculas secretadas pelos fungos patogênicos Paracoccidióides Brasiliensis e Cryptococcus Neoformans, AP.TEM
Assunto(s):Mitocôndrias   Micologia médica   Paracoccidioides brasiliensis   Parede celular

Resumo

Paracoccidioides brasiliensis é um dimórfico térmico, cuja capacidade de transição de conídeos inalados para leveduras é fundamental para o desenvolvimento da paracoccidioidomicose. Portanto, moléculas preferencialmente expressas na levedura, notadamente na superfície, podem ter alguma participação na relação parasita-hospedeiro, virulência e são potenciais alvos farmacológicos. Nosso grupo caracterizou o gene PbMDJ1, codificador da chaperone Mdj1. Ela é um membro mitocondrial da família DnaJ, cuja função é regular a atividade da Hsp70 cognata; DnaJ de bactéria apresenta também atividade de tiol-dissulfito oxidoredutase. Mostramos por microscopia eletrônica e confocal que anticorpos policlonais de coelho anti-PbMdj1 recombinante localizaram a PbMdj1 tanto na mitocôndria de leveduras de P. brasiliensis Pb18, como abundantemente na parede celular e região de brotamento. Os anticorpos revelaram uma proteína 55 kDa em extratos mitocondriais, com significativo aumento da expressão em condições de estresse térmico, e em uma fração extraída de parede celular. Em Pb18, o acúmulo de transcritos PbMDJ1 foi preferencial na fase leveduriforme. Foi o primeiro relato de uma DnaJ na superfície celular e sua função na parede celular é especulativa. O presente projeto visa responder se a localização extramitocondrial da Mdj1 na parede celular ocorre em outras fases do fungo, outros isolados ou em fungos relacionados e se é afetada por estímulos de estresse como choque térmico e oxidativo. Desta forma, será realizada a avaliação microscópica e eletroforética da Mdj1 em células leveduriformes, micelianas e em transição de fases dos isolados fúngicos selecionados. A análise será ampliada para fungos crescendo em condições de estresse. Estes objetivos estão contidos no projeto temático FAPESP 06/05095-6 e irão contribuir para o entendimento da estrutura da parede celular de P. brasiliensis e do papel da Mdj1 nesse compartimento. (AU)