Busca avançada
Ano de início
Entree

Antichagásicos potenciais: pró-fármacos recíprocos de bioisósteros do hidroximetilnitrofural e de liberador de óxido nítrico

Processo: 09/06489-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2009
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Pesquisador responsável:Elizabeth Igne Ferreira
Beneficiário:Ricardo Augusto Massarico Serafim
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Química farmacêutica   Desenvolvimento de fármacos   Latenciação de fármacos   Pró-fármacos   Óxido nítrico   Tripanossomicidas   Hidroximetilnitrofural

Resumo

A doença de Chagas é uma patologia cujo agente etiológico é o parasita denominado Trypanosoma cruzi. Atualmente 21 países são considerados regiões endêmicas, onde 28 milhões de pessoas estão sob o risco de adquirir a doença, 15 milhões estão infectadas e mais de 41 mil novos casos surgem por ano. Entretanto, apenas os fármacos nifurtimox e benznidazol estão disponíveis no mercado, os quais apresentam inúmeros efeitos colaterais, sendo que no Brasil apenas o benznidazol é utilizado. Essa carência no arsenal terapêutico contra a doença de Chagas conduz à importância de buscar quimioterápicos mais eficazes para o seu tratamento. Face ao exposto, o objetivo deste projeto compreende a síntese de compostos com dupla atividade contra o T. cruzi, utilizando a metodologia da latenciação de fármacos, em que os derivados ativos são bioisósteros de derivados nitro-heterocíclicos, sintetizados em nosso grupo de pesquisa. Os derivados propostos são pró-fármacos recíprocos do nitrofural hidroximetilado e de seus bioisósteros, os quais se mostraram promissores com respeito à inibição da cruzaína, com o grupamento liberador de óxido nítrico, podendo, deste modo, atuar na inibição da enzima cruzaína e obter atividade citotóxica pela ação do óxido nítrico liberado. Os compostos serão avaliados quanto à possível inibição da enzima, juntamente com ensaios de suscetibilidade em epimastigotas/amastigotas e ensaios de citotoxicidade em macrófagos e fibroblastos. (AU)