Busca avançada
Ano de início
Entree

Filogenia de Bignonia L. (Bignonieae, Bignoniaceae)

Processo: 09/07087-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2009
Vigência (Término): 31 de julho de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Taxonomia Vegetal
Pesquisador responsável:Lúcia Garcez Lohmann
Beneficiário:Alexandre Rizzo Zuntini
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Filogenia   Bignoniaceae   Evolução vegetal

Resumo

As filogenias, ou árvores evolutivas, se tornaram ferramentas cruciais à taxonomia do século XXI. Estas têm sido amplamente utilizadas em diversas áreas. Na Taxonomia, auxilia revisões taxonômicas e revela espécies novas cripticas. Na Biologia da Conservação incorpora índices filogenéticos na escolha de áreas prioritárias para preservação. A Biogeografia explica a distribuição atual das espécies ou por eventos históricos ou macroecológicos. Através de filogenias é possível ainda testar hipóteses sobre adaptação e exaptação, e coevolução. Pode ser utilizado também o método comparado ou analisadas simplesmente as tendências morfológicas. Podem ser a família Bignoniaceae inclui 840 espécies e 81 gêneros e tem sido foco de estudos moleculares recentes. Especificamente, uma filogenia da família e das tribos Bignonieae e Crescentieae. Também foram estudos os gêneros Incarvillea e Tabebuia. Bignonieae, a maior tribo da família, é composta predominantemente por lianas com gavinhas. Nesta tribo esta incluído Bignonia L., que em sua atual circunscrição inclui as 28 espécies anteriormente incluídas em: Clytostoma Miers ex Bureau, Cydista Bureau, Macranthisiphon Bureau ex K. Schum., Mussatia Bureau ex Baill., Phryganocydia Mart. ex Bureau, Potamoganus Sandwith, Roentgenia Urb, Saritaea Dugand, e a espécie Tanaecium nocturnum (Barb. Rodr.) Bureau & K. Schum.). O objetivo deste projeto é reconstruir a filogenia do gênero Bignonia, a qual representará um primeiro passo para estudos evolutivos, ecológicos e biogeográficos no gênero. A ampla distribuição de Bignonia associada à alta diversificação em caracteres reprodutivos torna este grupo particularmente interessante para o estudo dos processos associados à diversificação de plantas tropicais. (AU)