Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência das alterações degenerativas endometriais na hemodinâmica do trato reprodutivo de éguas após a inseminação artificial e durante as fases iniciais do desenvolvimento embrionário

Processo: 09/52575-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de setembro de 2009
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:Cezinande de Meira
Beneficiário:Jair Camargo Ferreira
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Embriogênese   Inseminação artificial animal   Doenças uterinas   Hemodinâmica   Éguas

Resumo

Alterações endometriais degenerativas são achados patológicos comuns em úteros de éguas. Prévios estudos relacionaram a presença destes processos com alterações na perfusão sanguínea endometrial. Sabe-se da correlação existente entre alterações degenerativas endometriais com menores taxas de fertilidade em éguas. Entretanto, a forma através da qual a gestação pode ser afetada por tais patologias, ainda não é totalmente compreendida. Em éguas, a ultrasonografia color-Doppler é a única técnica não-invasiva atualmente disponível através da qual é possível estudar em tempo real as alterações de perfusão vascular endometrial simultaneamente à infusão de sêmen no útero e com as mudanças na localização do concepto durante a fase de mobilidade embrionária. Logo, esta técnica é a mais indicada para o estudo da interação embrião útero e a relação entre a deposição do sêmen e a perfusão vascular do útero com comprometimento endometrial. Este estudo descreverá pela primeira vez a hemodinâmica uterina durante o transporte de espermatozóides no trato reprodutivo, bem como durante o início da gestação e seus efeitos na interação feto-maternal em éguas com cistos uterinos e/ou degenerações endometriais moderadas a severas. Os resultados serão de grande importância para a compreensão da etiopatogenia das patologias em questão e, consequentemente, para o desenvolvimento de novos tratamentos preventivos e/ou clínicos para as mesmas na espécie equina. Além disso, os achados, abrirão caminho para novos estudos visando o aumento na taxa de concepção de éguas com problemas de fertilidade. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
FERREIRA, JAIR CAMARGO; BOAKARI, YATTA LINHARES; ROCHA, NOEME SOUSA; IGNACIO, FERNANDA SAULES; DA COSTA, GUILHERME BARBOSA; DE MEIRA, CEZINANDE. Luteal vascularity and embryo dynamics in mares during early gestation: Effect of age and endometrial degeneration. REPRODUCTION IN DOMESTIC ANIMALS, v. 54, n. 3, p. 571-579, MAR 2019. Citações Web of Science: 0.
FERREIRA, J. C.; CANESIN, H. S.; IGNACIO, F. S.; ROCHA, N. S.; PINTO, C. R.; MEIRA, C. Effect of age and endometrial degenerative changes on uterine blood flow during early gestation in mares. Theriogenology, v. 84, n. 7, p. 1123-1130, OCT 15 2015. Citações Web of Science: 5.
FERREIRA, J. C.; IGNACIO, F. S.; ROCHA, N. S.; THOMPSON, JR., D. L.; PINTO, C. R.; MEIRA, C. Real-time characterization of the uterine blood flow in mares before and after artificial insemination. Animal Reproduction Science, v. 160, p. 90-96, SEP 2015. Citações Web of Science: 1.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
FERREIRA, Jair Camargo. Influência das alterações degenerativas endometriais e da idade hemodinâmica do trato reprodutivo de éguas após a inseminação artificial e durante as fases iniciais do desenvolvimento embrionário. 2012. 176 f. Tese de Doutorado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia..

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.