Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do veneno de Crotalus vegrandis e de suas frações com atividade antitumoral

Processo: 09/11038-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2010
Vigência (Término): 31 de outubro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Pesquisador responsável:Patrick Jack Spencer
Beneficiário:Tamara Mieco Fucase
Instituição-sede: Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Neoplasias   Purificação   Toxinas

Resumo

Os venenos de serpentes são complexas misturas com proteínas e peptídeos que apresentam uma variedade de atividades biológicas. Devido à riqueza de seus componentes, várias moléculas encontradas no veneno vem sendo utilizadas com fins terapêuticos, como agentes anticoagulantes ou analgésicos. Recentemente, diversos estudos têm mostrado que substâncias oriundas do veneno de serpentes são eficazes agentes antitumorais tanto in vivo quanto in vitro. Os tumores apresentam alta expressão de receptores chamados integrinas, que são heterodímeros de subunidades ± e ². Diversos estudos envolvem as integrinas nas interações complexas necessárias para que as células de tumor se espalhem em tecidos adjacentes normais, e formem uma vascularização funcional para a oxigenação do tumor e o seu crescimento. Ao fracionar o veneno de serpentes são encontradas substâncias como disintegrinas, proteases (serino e metalo), fosfolipases A2 e L-aminoácido oxidases entre outras. Algumas toxinas são objeto de estudo de muitos grupos e vem sendo caracterizadas quanto a sua atividade antitumoral nos últimos tempos. Dentre estas estão a crotoxina (Crotalus durissus terrificus) e a jararagina (Bothrops jararaca).A jararagina é uma disintegrina obtida do veneno de Bothrops jararaca.Esta toxina tem efeito dose-dependente sobre várias linhagens tumorais humanas, alterando sua morfologia, viabilidade, migração e invasão in vitro.Os estudos referentes ao veneno de C. vegrandis são escassos, o que o torna um interessante objeto de investigação para o isolamento de possíveis biomoléculas com potencial atividade antitumoral.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
FUCASE, Tamara Mieco. Estudo do veneno de Crotalus vegrandis e de suas frações com atividade antitumoral. 2011. Dissertação de Mestrado - Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares - IPEN-CNEN/SP São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.