Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo de Enterococcus faecalis em infecções endodônticas: prevalência, quantificação, viabilidade, fatores de virulência e diversidade genética

Processo: 10/06248-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência (Início): 01 de abril de 2010
Vigência (Término): 31 de março de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Endodontia
Pesquisador responsável:Ericka Tavares Pinheiro
Beneficiário:Ericka Tavares Pinheiro
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/52661-5 - Estudo de Enterococcus faecalis em infecções endodônticas: prevalência, quantificação, viabilidade, fatores de virulência e diversidade genética, AP.JP
Assunto(s):Enterococcus faecalis   Diversidade genética   Resistência microbiana a medicamentos   Fatores de virulência

Resumo

E. faecalis é um microrganismo comensal que habita a cavidade oral e o trato gastrointestinal em humanos, mas podem agir como patógenos oportunistas causando infecções severas do trato urinário, bacteremia e endocardite bacteriana. Na cavidade oral, E. faecalis é associado a infecções endodônticas, sendo a espécie mais frequentemente detectada em canais radiculares de dentes com insucesso do tratamento endodôntico. Como o canal radicular configura um ambiente submetido à ação de agentes antimicrobianos, um constante questionamento refere-se à viabilidade dos organismos detectados nestas condições. Apesar da ampla informação sobre a prevalência do E. faecalis em casos de insucesso endodôntico, a informação sobre a viabilidade e os fatores de virulência desses isolados clínicos é limitada e merece uma maior investigação. Além disso, não existem estudos na literatura envolvendo uma correlação entre os diversos aspectos das infecções por E. faecalis, impossibilitando uma análise do possível papel desse microrganismo na etiologia dos insucessos endodônticos. Dessa forma, o presente estudo tem como objetivo investigar a prevalência, quantidade e viabilidade de E. faecalis no canal radicular; sua inter-relação com o restante da microbiota; e a expressão de determinantes de virulência dessas amostras. Também será estudada a estrutura populacional de E. faecalis e será investigada a relação entre linhagens isoladas de infecções endodônticas com as de diferentes nichos, bem como a relação entre as diferentes linhagens e a presença de marcadores de virulência e resistência a antibióticos. A prevalência e quantificação de E. faecalis em canais de dentes com insucesso do tratamento endodôntico será realizada pelo método da cultura e PCR em tempo real usando DNA como molde. A viabilidade do E. faecalis será investigada utilizando RT-PCR (Reverse Trancriptase PCR) seguindo-se de PCR em tempo real usando cDNA como molde. A interação de E. faecalis com a comunidade microbiana será avaliada por análise metagenômica, através de clonagem e sequenciamento de 16S rRNA usando iniciadores universais para o domínio Bacteria. Os isolados clínicos de E. faecalis serão avaliados, por métodos genotípicos e fenotípicos, quanto à capacidade de adesão a proteínas de matriz extracelular; formação de biofilme; produção de gelatinase e citolisina; indução de inflamação; e resistência a antimicrobianos. A diversidade genética de cepas de E. faecalis isoladas de canais com insucesso endodôntico será realizada por PFGE, e o perfil genotípico e fenotípico dessas cepas será comparado ao perfil de cepas isoladas da saliva e fezes (microbiota normal residente) e de cepas isoladas de infecções sistêmicas (bacteremia, endocardite, infecções do trato genito-urinário). (AU)