Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da enzima indolamina-2,3-dioxigenase na diferenciação e função das células dendríticas e t reguladoras na paracoccidiodomicose pulmonar de camundongos resistentes e suscetíveis ao paracoc..

Processo: 09/53045-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2009
Vigência (Término): 31 de julho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia
Pesquisador responsável:Vera Lucia Garcia Calich
Beneficiário:Eliseu Frank de Araujo
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Células dendríticas   Linfócitos T

Resumo

A paracoccidioidotnicose (PCM) é a micose sistêmica mais comum no Brasil. Nos indivíduos em que a doença se desenvolve, a gravidade da infecção depende, entre outros fatores, da resposta imune adquirida do hospedeiro, que, entretanto, é profundamente influenciada pelos mecanismos de imunidade inata. Durante o mestrado demonstramos que a enzima endolamina-2,3-dioxigenase (IDO) exerce um efeito duplo na infecção pulmonar por Paracoccidioides brasiliensis: controla a carga fúngica por depletar o triptofano, mas ao mesmo tempo controla a ativação de linfócitos T, induzindo grave supressão da imunidade celular. Além disso, demonstramos que os efeitos da enzima dependem do padrão genético do hospedeiro e são mais marcantes na linhagem de camundongos susceptível ao fungo. A literatura tem demonstrado que os efeitos supressores da IDO são principalmente mediados pelas células dendríticas (DCs) e da sua interação com células T reguladoras. Pretendemos, então, no doutorado, estudar a influência da enzima IDO na diferenciação e função das células dendríticas e T reguladoras na PCM pulmonar de camundongos resistentes e susceptíveis ao fungo. Este trabalho de investigação complementará os resultados obtidos no mestrado e poderá trazer informações originais sobre os mecanismos de imunidade inata que influenciam a imunidade adaptativa protetora ou deletéria que se estabelecem subseqüentemente no modelo genético da doença. A elucidação de novos mecanismos que levam à supressão da imunidade celular na PCM poderá trazer benefícios para o entendimento da patologia e para futuras candutas terapêuticas mais adequadas. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ARAUJO, ELISEU F.; LOURES, FLAVIO V.; BAZAN, SILVIA B.; FERIOTTI, CLAUDIA; PINA, ADRIANA; SCHANOSKI, ALESSANDRA S.; COSTA, TANIA A.; CALICH, VERA L. G. Indoleamine 2,3-Dioxygenase Controls Fungal Loads and Immunity in Paracoccidioidomicosis but is More Important to Susceptible than Resistant Hosts. PLoS Neglected Tropical Diseases, v. 8, n. 11 NOV 2014. Citações Web of Science: 14.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.